Na TV, Serra defende aliança com Roberto Jefferson

O candidato tucano alegou que coligação entre PSDB e PTB é histórica para explicar aliança com acusados no mensalão

Nara Alves, iG São Paulo |

O candidato tucano à Presidência, José Serra , defendeu a coligação entre o PSDB e o PTB, presidido pelo ex-deputado Roberto Jefferson, pivô do escândalo do mensalão em 2005. "Os personagens principais foram do PT, aliás, mediante denúncia do Roberto Jeferson, que era então líder do PTB", afirmou em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo. "Quem é responsável pelo erro que tem que pagar", disse. Ele lembrou, ainda, que Jefferson não é candidato e que o ex-deputado cassado conhece o programa de governo tucano.

Ao ser questionado sobre os elogios que tem feito ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva apesar de ser da oposição, Serra se esquivou. "O meu foco não é o Lula, ele não está concorrendo comigo", disse, negando ter receio da popularidade do presidente. O tucano afirmou que quer "corrigir e melhorar" as ações do governo. "Não há presidente que possa governar da garupa", disse, sem citar sua principal oponente, a petista Dilma Rousseff . Ele voltou a usar o slogan se sua campanha " o Brasil pode mais ".

Reprodução
Segundo o candidato, a campanha petista faz comparações entre os governos de Lula e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para "para tirar o foco". Serra reforçou que o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, um dos principais assessores de Dilma, "nunca parou de elogiar Fernando Henrique".

Serra atribuiu a escolha do deputado Indio da Costa (DEM-RJ) como candidato a vice-presidente a "circunstâncias políticas" e afirmou que Indio "é um homem de 40 anos" preparado o cargo, especialmente depois de liderar o processo de aprovação da Lei do Ficha Limpa. O tucano negou que a demora na escolha do nome do vice tenha sido causada pelo fato de ele ser centralizador. "Não sou centralizador. Sou mais um cobrador. Eu delego muito", disse.

O presidenciável, ex-governador de São Paulo, defendeu o modelo de concessão de estradas utilizado no Estado para a esfera federal, apesar das críticas quanto ao preço e à quantidade de pedágios nas estradas estaduais paulistas. Segundo ele, 75% dos usuários de estradas classificam como ótimas ou boas as estradas paulistas, enquanto apenas 24% dos usuários aprovam as estradas federais, que Serra classificou como "estradas da morte".

José Serra foi o terceiro candidato à Presidência a participar da série de entrevistas no Jornal Nacional. A primeira foi Dilma Rousseff , na segunda-feira. Ontem foi a vez de Marina Silva , do PV. O candidato Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, também será entrevistado. Serra, Dilma e Marina tiveram 12 minutos de entrevista e Plínio terá 3 minutos.

    Leia tudo sobre: Eleições Serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG