Na TV, Serra apela para indecisos; Dilma cita momento econômico

Petista alerta para risco de alteração na política econômica e tucano destaca biografia do vice

iG São Paulo |

No penúltimo dia de programa eleitoral gratuito na TV, o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra , pediu o voto dos indecisos. Já a candidata do PT, Dilma Rousseff , , exaltou o bom momento econômico do País e acusou uma possibilidade de mudança de rumo caso seu opositor seja eleito.

Segundo os petistas, Serra teria declarado intenção de “mudar muita coisa na economia”. Em seguida, os petistas enumeram uma série de dados do governo Lula, entre eles a meta de crescimento de mais de 7% até o fim do ano e a geração recorde de empregos. “Você acha que um novo presidente deveria mudar muita coisa na economia?”, questiona Dilma.

A campanha de Dilma voltou a responder a acusações do PSDB de que o governo Lula teria sido responsável por uma série de privatizações no petróleo. “A verdade é que Lula e Dilma nunca privatizaram e nunca vão privatizar nossas riquezas naturais. Esta é a verdade, o resto é desespero de quem está atrás nas pesquisas”, respondeu um locutor petista.

Serra apostou na comparação de sua biografia com a da opositora. Os tucanos afirmaram em seu horário que, enquanto Serra tem ao seu lado os ex-presidentes Itamar Franco (PPS) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os petistas têm o apoio político do ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) e José Sarney (PMDB-AP).

A biografia do candidato a vice de Serra, deputado federal Indio da Costa (DEM), foi outra aposta do programa tucano. O trabalho de Indio no projeto de lei de iniciativa popular Ficha Limpa, que teve como objetivo barrar a candidatura de condenados pela Justiça, também foi ressaltado no horário do PSDB.

A tática de desconstrução da imagem de Dilma foi mantida por Serra. “Dilma é sombra do padrinho e isso não garante nada. Não adianta ser indicado, tem que dar conta do recado. Vamos comparar?”, convocou um apresentador tucano. Na sequência, a campanha serrista voltou a afirmar que Dilma teria deixado a Secretaria de Finanças de Porto Alegre falida e exibiu um depoimento de Políbio Braga, o secretário que assumiu o posto, criticando a petista. Depois, foram enumeradas obras federais que, segundo os tucanos, estão paradas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG