Na TV, Mercadante promete despoluir Tietê em 8 anos

Candidato petista afirma que governo tucano jogou "dinheiro no lodo" durante 20 anos para tentar resolver problemas no rio

iG São Paulo |

O candidato do PT ao governo paulista, senador Aloizio Mercadante, afirmou nesta terça-feira, em entrevista ao SPTV , da TV Globo, que, se eleito, vai implementar um projeto para despoluir o rio Tietê num prazo de oito anos.

Futura Press
Candidato do PT ao governo de SP, Mercadante quer recuperar rio Tietê
“O Tâmisa ( em Londres ), o Reno ( de Paris ), vários rios do mundo foram recuperados. São Paulo tem rios fantásticos como o Tietê e o rio Pinheiros e tem que voltar a olhar para nossa água, nossa história. Eles ( do PSDB ) em 16 anos não fizeram isso”, disse o senador.

“No nosso Tietê, 20 anos de despoluição do rio Tietê, dinheiro jogado no lodo, literalmente, porque 33 bairros na capital jogam esgoto no lixo, no Tietê, e 16 municípios da Grande São Paulo jogam praticamente todo o esgoto.”

Mercadante aproveitou os seis minutos de entrevista no programa para criticar o que chamou de “falta de gestão pública” da Sabesp, empresa de economia mista responsável pelo fornecimento de água, colega e tratamento de esgoto em 366 municípios paulistas. Segundo o senador, faltam política pública, educação ambiental, prazos e multas para resolver o problema da poluição em São Paulo.

Questionado sobre o despejo de esgoto no rio Tietê promovido em Guarulhos, município da região metropolitana administrada pelo PT, Mercadante afirmou que duas estações de tratamento construídas na cidade farão o tratamento de 53% do esgoto da região.

Assim como tem feito durante toda a campanha, o candidato ao governo se escorou em números do governo federal para fazer críticas à gestão tucana no Estado.

Segundo o senador, o governo petista dobrou as verbas para a saúde e triplicou os recursos para educação no Estado, além de ter contribuído para a expansão de obras como o rodoanel. Ele citou também a instalação de universidades em regiões como o ABC e a Baixada Santista e citou números relativos a beneficiados por programas como Prouni e Bolsa Família no Estado.

Mercadante concentrou as críticas em relação ao transporte público em São Paulo e afirmou haver lentidão nos investimentos para o metrô e a CPTM. Defendeu o modelo de concessão das estradas federais do governo, que, segundo ele, são sete vezes mais baratas do que nas rodovias paulistas. “É um imposto disfarçado”, afirmou o candidato, que promete renegociar contratos e instalar um sistema para que os usuários paguem apenas pelo quilômetro rodado.

Questionado sobre a precariedade dos aeroportos administrados pelo governo federal, Mercadante afirmou que os problemas são resultados da ampliação do número de usuários na esteira da expansão da classe média no País. Disse, porém, que houve melhorias em aeroportos como Viracopos e Congonhas.

    Leia tudo sobre: eleições spmercadante

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG