Na TV, Alckmin foca em obras e deixa críticas para personagens

Mercadante diz que governo tucano "praticamente se recusou a fazer parceria" com o governo federal

Daniela Almeida, iG São Paulo |

O programa eleitoral gratuito do candidato ao governo Geraldo Alckmin (PSDB) desta noite focou em obras e programas dos mandatos tucanos no Estado e deixou de lado as críticas ao adversário Aloizio Mercadante (PT). As censuras, veladas, ficaram a cargo de personagens tucanos e do locutor.

“Alckmin não falta ao serviço e faz a obra aparecer”, disse o apresentador. “Ele acorda cedo e já vai trabalhando”, afirmou uma personagem. Ao longo do horário reservado à coligação, Alckmin listou benefícios como creches, escolas de tempo integral, restaurantes e farmácias populares, escolas técnicas.

Mercadante , por sua vez, manteve a crítica aos anos em que o PSDB esteve à frente do governo em São Paulo. Segundo o candidato, o governo paulista foi contra a parceria com o governo federal, apesar de nunca ter recebido tantos recursos. “Nos últimos oito anos o governo do Estado praticamente se recusou a fazer parceria com o governo federal”, afirmou Mercadante.

O petista manteve a estratégia de tentar colar sua imagem à da candidata à presidência, Dilma Rouseff (PT) e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para tanto, voltou a usar imagens dos últimos comícios no estado ao lado de Lula e de Dilma.

O candidato pelo PP Celso Russomano citou a onda de crimes creditada ao Primeiro Comando da Capital (PCC) nas últimas eleições para criticar o governo Alckmin. Na tentativa de buscar o voto dos indecisos, Paulo Skaf (PSB) se apresentou ao eleitor e reforçou sua trajetória na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

    Leia tudo sobre: Eleições SerraPleito 2010Eleições Dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG