Na reta final, presidenciáveis sobem o tom no rádio

Troca de ataques entre presidenciáveis ganha força nos spots divulgados nas rádios

Daniela Almeida, iG São Paulo |

Na reta final da corrida presidencial, as campanhas dos candidatos ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), subiram o tom nas inserções veiculadas no rádio e passaram a investir em críticas ácidas ao adversário.

Do lado de Serra, a ordem é apostar na tese de que Dilma mantém um discurso contraditório em relação a declarações que fez no passado. “A dona Dilma, o que ela quer? Como é que dá pra confiar, não sei quem é. (...) O que ela diz muda o tempo todo, assim parece que nem ela bota fé”, alfineta uma propaganda da campanha tucana, veiculada nos dias 19, 17 e 13.

“Serra é do bem. Do bem rico, do bem ganancioso, do bem caro. Serra é do bem, do bem estagnado, do bem inflacionado, do bem desempregado. Serra é do bem pra quem?”, provoca uma inserção petista veiculada no dia 13. Nesse caso, a propaganda é uma resposta a um jingle de Serra que diz: “Quando se conhece bem uma pessoa, logo se sabe se é gente boa. Com Serra essa certeza a gente tem. Serra é do bem, Serra é do bem.”

No horário eleitoral gratuito, a troca de críticas e acusações entre os presidenciáveis é a mesma. Simulando uma conversa entre apresentadores de uma rádio fictícia, chamada Estação 13 (uma referência ao número do partido), o programa transmitido ontem (20) pelo PT citou as notícias sobre a apreensão de panfletos contrários à candidatura petista em uma gráfica que estaria ligada a tucanos.

“Eles fazem qualquer coisa pra poder voltar ao poder. Chega a dar nojo. (...) Essa é mais uma prova das várias caras que o Serra tem. Lá no programa dele ele fica dizendo que é vítima de ataque e que se faz de santo e não sei o quê.”, afirma um dos locutores.

Já o programa tucano transmitido no dia 16 tenta descolar a imagem de Dilma da imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva , dono de um índice recorde de aprovação entre a população – 81%, segundo o Datafolha. Dilma vem reforçando a mensagem de que participou dos oito anos de governo Lula e esteve à frente de grandes projetos, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), logo, estaria preparada para assumir a Presidência.

“O jeito que a Dilma faz promessa, diz que fez um montão de coisa, mas quando vai mostrar, é tudo do Lula. Parece que foi ela que fez sozinha, mas na verdade a Dilma, ninguém sabe o que ela mesma fez. Mas em vez de esclarecer isso, fica aí, falando mal do Serra”, afirma um personagem tucano no programa. “E tem outra coisa, Wilson, será que ela vai dar conta? Sei não, acho que é muita areia pro caminhãozinho dela”, responde outra locutora fictícia. Na sequência, personagens afirmam não conhecerem qualquer feito da petista.

Segundo o cientista político e autor do livro A Cabeça do Eleitor , Alberto Carlos de Almeida, as campanhas políticas no rádio sempre tiveram um tom diferenciado das propagandas políticas feitas para a televisão. “A campanha na TV é mais elitizada. No rádio você atinge as donas de casa, os estudantes, as pessoas de renda média e um pouco mais baixa, ao passo que a TV atinge todo mundo. A campanha no rádio é uma campanha mais ‘popularista’ mesmo.”, explica.

Ouça as propagandas :

José Serra (PSDB)

19, 17 e 13/10

SERRA 19 by dani_almeida

16/10

SERRA 16 by dani_almeida

12/10

SERRA 12 by dani_almeida

Dilma Rousseff (PT)

15/10

DILMA 15 by dani_almeida

13/10

DILMA 13 by dani_almeida

08/10

DILMA 8 by dani_almeida

    Leia tudo sobre: Eleições SerraPleito 2010Eleições Dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG