Na estreia, Serra ataca Dilma e petista alfineta governo anterior

Tucano disse que rival 'não sabe por que quer ser presidente'; ex-ministra disse duas vezes que quer 'continuar mudando o País'

iG São Paulo |

Sem as sombras das punições por campanha antecipada, os presidenciáveis estrearam oficialmente na campanha eleitoral deste ano com direito a tumulto e troca de farpas. A partir de hoje, os candidatos estão oficialmente autorizados a fazer propaganda em busca de votos, com direito a utilizarem carros de som  e organizar comícios. 

Em Curitiba para a ocasião, o tucano José Serra (PSDB) aproveitou a viagem para criticar novamente a rival Dilma Rousseff (PT) por evitar a participação de debates. "Parece que a candidata Dilma não sabe por que quer ser presidente. Está chegando ao exagero em matéria de omissão e de comparação", afirmou o tucano, que passou o dia em companhia do candidato de seu partido ao governo paranaense, Beto Richa.

AE
Serra lança campanha em Curitiba, no Paraná
Serra também comentou as diretrizes do programa de governo entregue pelo PT à Justiça Eleitoral. Numa referência ao fato de o texto já ter sofrido alterações no Congresso Nacional do partido, Serra disse que "o segundo remendo" foi mal feito. E voltou a investir na tese de que os petistas têm "duas caras" - com fama de carrancudo, o tucano declarou em eleições passadas que sua "cara é feia, mas é uma só".

"Não são duas caras, são várias caras", disse o tucano desta vez, em referência à lista de propostas de Dilma. Sobre seu próprio programa de governo, o tucano disse que as diretrizes do PSDB foram minuciosamente escritas e detalhadas. Ontem, ao registrar sua candidatura, Serra reproduziu discursos feitos em 10 de abril e 12 de junho como síntese do seu programa de governo.

Em Porto Alegre para a largada, Dilma não bateu de frente com o rival. Ainda assim, aproveitou a chance para exaltar a imagem positiva conquistada pelo Brasil no exterior durante o governo Lula, em uma alfinetada à administração anterior, liderada pelo tucano Fernando Henrique Cardoso.

Divulgação
No lançamento da campanha, ao lado de Tarso Genro, Dilma afirmou querer ser presidente para ¿continuar mudando o país¿.
"Hoje somos um povo de cabeça erguida, não falamos humildezinhos com os países desenvolvidos", ironizou. Por duas vezes, a petista afirmou que quer ser presidente para “continuar mudando o País”.

Acompanhada do ex-ministro da Justiça Tarso Genro, a petista acabou tendo que desistir de almoçar na praça de alimentação do Mercado Público de Porto Alegre, devido ao tumulto provocado pela visita. Acabou optando por fazer a refeição longe da militância, com a filha Paula, que vive na capital gaúcha.

Improviso

Enquanto Dilma e Serra já colocavam em prática as agendas preparadas desde o último fim de semana, a senadora Marina Silva ainda acertava na manhã de hoje os detalhes de suas atividades para o primeiro dia de campanha. A campanha foi aberta com a inauguração da primeira “Casa de Marina”, espécie de comitê eleitoral doméstico e voluntário, no Campo Limpo, Zona Sul de São Paulo. Mas o promotor de vendas Adriano Prado Costa Silva, militante do PV, só foi avisado que sua casa seria transformada em comitê às 8h30.

AE
De última hora, Marina inaugurou comitê domiciliar
Até a noite de segunda-feira, a coordenação da campanha trabalhava com a possibilidade de que o início da campanha fosse no Rio de Janeiro com a participação do candidato ao governo do Estado, o deputado Fernando Gabeira (PV). Mas Gabeira cancelou seus compromissos de campanha alegando que precisava ir a Brasília para votar a regulamentação do pré-sal, colocada em pauta na tarde de segunda-feira pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB), candidato a vice na chapa de Dilma.

Marina minimizou o desencontro. “A ideia da agenda do Gabeira surgiu mas o Movimento Marina Silva já estava planejando esta agenda ( a inauguração da ‘Casa de Marina’ ) há muito tempo. Obviamente o Gabeira é deputado e tem que cumprir com suas responsabilidades”, disse ela.

*Com informações de Alexandre Haubrich, iG Rio Grande do Sul, Francisco Camargo, iG Paraná, Ricardo Galhardo, iG São Paulo, Agência Estado e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: José SerraDilma RousseffMarina Silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG