Ministros ironizam tensões na campanha de Serra

Em referência ao desentimento com aliados para escolha do vice, Orlando Silva afirmou que ¿o lado de lá vive batendo cabeça"

Matheus Pichonelli. IG São Paulo |

Em discursos feitos durante a convenção que oficializou a candidatura de Aloizio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo, os ministros Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Orlando Silva (Esportes) ironizaram os adversários do PSDB, que enfrentam dificuldades para definir o candidato a vice-presidente na chapa do tucano José Serra para a Presidência. Na véspera, o PSDB anunciou que estuda lançar uma chapa puro-sangue para a disputa presidencial, o que provocou a ira de partidos da coligação nacional, especialmenteos caciques do DEM.

Orlando Silva, filiado ao PC do B, que compõe a chapa de Mercadante, comparou as eleições a uma partida de futebol e afirmou que “o lado de lá vive batendo cabeça”. “Parece time desclassificado na Copa, parece a França [time eliminado na primeira fase do Mundial]”, disse o ministro.

Padilha fez coro ao colega e disse que, diferentemente dos adversários, o PT chega unido à disputa. “Em São Paulo, temos 11 partidos e o vice é do PDT. O suplente para o Senado é do PR. A Dilma [Rousseff] é PT e o [Michel] Temer, do PMDB. E o lado de lá acha que pode governar sozinho. Nossa campanha vai unir São Paulo e o Brasil”.

Aproveitando a presença do vereador Carlos Apolinário, ex-líder do DEM na Câmara Municipal de São Paulo que recentemente anunciou apoio a Mercadante, Padilha disse: “Apolinário, não tenho dúvida de que junto de você vem mais”.

O apoio de Apolinário é considerado simbólico para o PT, que aposta no racha na estrutura de apoio de Geraldo Alckmin, candidato tucano ao Palácio dos Bandeirantes, para conseguir levar a disputa para o segundo turno. Mostra do racha, segundo as lideranças petistas, foi a presença no evento de Michel Temer, presidente nacional do PMDB e vice na chapa de Dilma Rousseff – em São Paulo, o partido oficialmente apoia o candidato do PSDB.

Em sua fala, Apolinário criticou os ex-aliados e defendeu que é "hora de colocar os tucanos pra fora". "Segurança para tucano é presídio, para Mercadante é criança na escola", disse.

    Leia tudo sobre: José SerraDilma RousseffPTPSDBeleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG