Ministro nega pedido do PSDB para proibir propaganda da bolinha

PT usou imagens em seu programa eleitoral e não mencionou um segundo objeto desferido contra Serra

Severino Motta, iG Brasília |

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, negou um pedido do PSDB que tentava impedir nova veiculação da propaganda do PT exibida ontem, que mostrou José Serra sendo atingido na cabeça por uma bolinha de papel durante evento no Rio de Janeiro. No horário eleitoral, sustentam os advogados do PSDB, a coligação de Dilma Rousseff (PT) não fez nenhuma menção ao outro objeto que atingiu o candidato e passou a ideia de que o tucano fingiu um ferimento.

Em seu despacho, Henrique Neves disse que, a princípio, não iria impedir a veiculação das imagens, mas que o plenário do TSE deve analisar se a maneira que o PT usou as imagens poderia significar uma ofensa ao candidato tucano.

“A controvérsia sobre os fatos, ou ao menos, sobre a interpretação que a eles é emprestada pelos órgãos de imprensa e pelos candidatos não permite que, neste primeiro exame, sejam os mesmos considerados sabidamente inverídicos, o que não significa reconhecê-los como verdadeiros, pois dependem do exame das provas e versões apresentadas, a ser feito no momento do exame do mérito da representação, garantindo-se, assim, que a defesa seja exercida”, diz a decisão.

    Leia tudo sobre: eleiçõestseserrabolinha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG