Mercadante rebate críticas de Alckmin sobre sua atuação no Senado

Em programa na TV, petista veicula vídeo em que aparece na sessão do Senado onde foram votadas verbas para o transporte paulistano

Ana Paula Prado, iG São Paulo |

No programa noturno dos candidatos ao governo de São Paulo da noite desta sexta-feira, o candidato do PT ao cargo, Aloizio Mercadante, defendeu-se das acusações de ter faltado em importantes sessões no Senado, veiculadas no programa de seu adversário, Geraldo Alckmin, do PSDB.

Em sua declaração, Mercadante explicou que o “adversário esconde que essas aprovações de empréstimos são por votações simbólicas e nunca por votação nominal”. E acrescentou que “como líder, costurei e participei de todos os acordos dos 36 empréstimos, de mais de R$ 9 bilhões, feitos a São Paulo nos últimos oito anos”. Ao final de sua declaração, foi exibida reportagem da TV Senado em que o Senador Romeu Tuma preside sessão de 08 de maio de 2008 – uma das sessões que o PSDB acusa Mercadante de ter faltado – em que o candidato do PT aparece em plenário.

Segundo ata do Senado, Mercadante não estava presente na votação simbólica, mas chegou ao final da sessão.

Já Geraldo Alckmin, do PSDB, voltou a veicular jingle cujo refrão diz “votaram verba pro metrô/Mercadante faltou/Onde tava Senador?”. No restante do programa, o candidato mostrou obras que o PSDB implantou no Estado em 16 anos de alternância no poder em São Paulo, como o Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem, Instituto de Reabilitação Lucy Montoro, Ambulatórios Médicos de Especialidades, Banco do Povo, entre outros.

A estratégia de mostrar José Serra, candidato do partido à Presidência, também se repetiu no programa noturno. O presidenciável apareceu falando que a população, por meio de pesquisas, sempre aprovou sua atuação no Estado de São Paulo.

Senado
Marta Suplicy (PT) inovou em sua peça publicitária ao apresentar, através de edição que intercalava sua fala com a do presidente Lula, um diálogo em que ambos destacavam projetos dela na Prefeitura de São Paulo (2000 – 2004) e dele na Presidência da República (2002-2010). Ao final, Marta deseja boa sorte a Orestes Quércia (PMDB), que abdicou da corrida ao Senado por motivos de saúde.
Aloysio Nunes (PSDB) voltou a contar com a participação de José Serra em seu programa eleitoral.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG