Mercadante defende Lula de críticas sobre liberdade de imprensa

Candidato do PT ao governo paulista se apoia na popularidade do presidente para tentar levar a eleição ao segundo turno

Matheus Pichonelli e Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Em seu mais duro discurso desde o começo da campanha eleitoral, na noite desta segunda-feira, no sambódromo do Anhembi, o candidato do PT ao governo paulista, Aloizio Mercadante, saiu em defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação às críticas sofridas pelo petista em razão de supostos "ataques" à liberdade de imprensa no País.

AE/JF DIORIO
O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, durante comício da coligação `União Para Mudar¿, no sambódromo do Anhembi, zona norte de São Paulo
Desde o início do período eleitoral o senador se apoia na popularidade do presidente Lula para tentar reverter uma eventual derrota logo no primeiro turno. "Temos liberdade absoluta de imprensa" disse Mercadante, em apoio a Lula, que tem sido criticado desde que passou a queixar-se do que considera “parcialidade da imprensa na cobertura eleitoral”. Segundo o candidato, há no Brasil liberdade "absoluta" de manifestação de pensamento, direito de greve e respeito à separação dos poderes: "Decisão da Justiça é respeitada pelo Legislativo, e o Executivo faz seu papel". 

Mercadante citou a última pesquisa Vox Populi/Band/ iG em que, pela primeira vez, é apontada a possibilidade de a eleição em São Paulo ser levada para o segundo turno. Segundo ele, o comício realizado na noite desta segunda “não era o último do primeiro turno , mas o primeiro do segundo turno”.

Em tom exaltado, ele criticou o governo do PSDB, que administra o Estado há 16 anos, dizendo que “eles podem ter mais tempo na TV, podem ter a máquina do governo, podem ter mais dinheiro, podem ter o apoio da imprensa, mas nunca vão comprar a consciência de vocês” - disse, em referência aos militantes, que, mesmo debaixo de chuva, prestigiaram o comício desta noite.

Mercadante disse também que a oposição não conseguirá apagar o papel do presidente Lula na história brasileira, aproveitando para ironizar o fato de que, nestas eleições, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não tem sido citado nem por seus próprios correligionários.

Sobre a presidenciável Dilma Rousseff, que acompanhava o discurso ao seu lado, disse ter orgulho de quem lutou pela democracia no país. O petista saiu em defesa também do candiatado ao Senado Netinho de Paula (PCdo B), também presente no palanque, frequentemente citado por acusações de agressões à ex-mulher: "Conheço os sete filhos dele, o carinho com que ele cuida dos projetos sociais e o carinho com que as mulheres o recebem nas ruas", disse Mercadante.

Ele terminou o discurso dizendo obrigado ao presidente Luiz Inácio lula da Silva.

Reforço para a campanha

O presidente Lula, em seu discurso, anunciou que estará ao lado de Mercadante em um comício em São Bernardo do Campo, no Grande ABC, berço do PT. A ministra Dilma Rousseff não comparecerá ao evento em razão do debate na TV Globo. Já no sábado, Lula, desta vez com Dilma, estará com Mercadante em uma caminhada também em São Bernardo. Será, segundo o presidente, uma caminhada "silenciosa" às vésperas da votação.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições spmercadantecomício

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG