Mercadante critica 'esvaziamento econômico' do interior

Em evento na capital, candidato petista ao governo de São Paulo criticou preço dos pedágios e instalação de presídios no interior

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

O candidato ao PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, voltou a atacar nesta quarta-feira a situação das estradas paulistas ao afirmar que os “abusos” nos preços dos pedágios, somados à instalação de presídios, provocaram “esvaziamento econômico” do interior do Estado.

Nas contas do senador, 440 cidades do interior representam apenas 5% do PIB de São Paulo.

AE
Marta Suplicy, Dilma Rousseff e Aloizio Mercadante em ato no centro da capital
Em ato público na Praça da Sé, centro da capital, ao lado da candidata à presidência, Dilma Rousseff (PT), e dos candidatos ao Senado Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB), Mercadante defendeu a renegociação de contratos com as concessionárias de pedágios do Estado, como já havia feito na véspera. Ele afirmou que, com o governo do presidente Lula, o brasileiro passou a andar mais de carro, a usar mais ônibus e que o tráfego de caminhões de cargas também aumentou, fatores que, para o senador, poderiam servir para reavaliar os custos. “O preço do abuso vai ser a derrota eleitoral”, disse.

Mercadante criticou ainda a proposta do principal adversário na disputa, o tucano Geraldo Alckmin, de aumentar o efetivo da Polícia Militar no Estado. Segundo o senador, é preciso, primeiro, aumentar o salário dos policiais e reorganizar as funções na corporação. Ele também defendeu a terceirização da frota, para que militares não sejam designados a exercer trabalhos nas oficinas dos batalhões.

Uma das principais bandeiras da campanha de Mercadante até o momento é o projeto de criação de um batalhão especial para fazer policiamento em regiões próximas às escolas e às comunidades.

    Leia tudo sobre: eleiçõesmercadantepedágios

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG