Mercadante abre 2º comitê, evoca Lula e diz temer volta da elite

Em seu segundo ato em Osasco, candidato pede que militância faça sua parte nas redes sociais e impeça 'entrega' do País

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

Em seu segundo ato de campanha em pouco mais de duas semanas em Osasco, reduto petista administrado por Emídio de Souza (PT), coordenador de sua campanha, o candidato ao governo paulista pelo PT, Aloizio Mercadante, incitou a militância do partido e aliados a “fazer sua parte e dar o melhor de si” nas ruas e nas redes sociais da internet para evitar que, após a gestão Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil seja entregue “para a elite”.

O senador participou na noite desta quinta-feira da inauguração do segundo comitê de sua campanha, no município da região metropolitana – considerado estratégico para as eleições no Estado. O candidato já havia escolhido Osasco para uma caminhada no centro comercial em seu primeiro ato oficial de campanha, no dia 6 deste mês.

A sede do comitê, segundo Mercadante, foi cedida em regime de comodato pelos proprietários à coordenação petista, assim como a sede administrativa, localizada na zona oeste da capital. O espaço estava vago havia dois anos e abrigava, anteriormente, uma concessionária de automóveis.

Como tem feito desde o início da campanha, o senador, segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto, usou mais uma vez a proximidade com o presidente Lula para atrair eleitores. Durante o discurso, ao lado do candidato a vice, Coca Ferraz (PDT), do deputado José Genoíno (PT) e do vereador Netinho de Paula (PC do B), candidato ao Senado em sua chapa, Mercadante se referiu a Lula como “o maior líder popular da história do País” e pediu votos a Dilma Rousseff (PT) para dar continuidade ao trabalho do atual governo.

Em meio à sua fala, o senador relatou ter tido uma conversa com o presidente, horas antes do evento, em que Lula teria manifestado a disposição de percorrer as ruas de São Paulo ao lado do correligionário.
“Ele estava indo para Garanhuns [em Pernambuco, cidade natal do presidente] e disse: ‘Estou doido para ir a São Paulo andar contigo’”, relatou o candidato, sob painéis espalhados pelo comitê em que aparece ao lado do presidente.

Na saída do evento, o senador voltou a criticar recentes declarações de Indio da Costa (DEM), candidato a vice-presidente na chapa de José Serra, segundo as quais o PT teria relações com as Farc e o narcotráfico. Mercadante ironizou o fato de um candidato a deputado federal pelo DEM ser condenado a prisão por estelionato e estar preso preventivamente desde janeiro e que já havia sido detido por falsidade ideológica e tráfico de drogas. O candidato se referia a Selmo dos Santos, que declarou possuir R$ 92 milhões em bens, entre os quais participação em uma faculdade que não existe. O argumento do senador é que, mesmo com todas as denúncias, o PT não irá usar o caso para fazer ataques aos adversários.

Antes do evento, o candidato já havia participado de carreatas e caminhada em Itapetininga, Carapicuiba e Votorantim, na região metropolitana de São Paulo.

Colaborou Alessandra Oggioni, iG São Paulo

    Leia tudo sobre: mercadanteeleições 2010osasco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG