Marta nega que seu nome seja cotado para eventual governo Dilma

Segundo senadora eleita por São Paulo, candidata do PT "interditou" tema

Luísa Pécora, iG São Paulo |

Futurapress
A senadora eleita Marta Suplicy cumprimenta mesário em seção eleitoral do Colégio Madre Alix, em São Paulo
A senadora eleita de São Paulo Marta Suplicy negou que seu nome esteja cotado para algum ministério caso a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , vença as eleições deste domingo. "Nossa candidata interditou esse tema, o que achei muito bom", afirmou. "Fui eleita para o Senado e espero cumprir meu mandato."

A senadora votou às 11h56 no Colégio Madre Alix, no bairro Jardim Paulistano, em São Paulo. Depois, seguiu para Brasília onde acompanhará a apuração dos votos ao lado de Dilma e do presidente Lula.

Marta disse estar “animada” para seu mandato no Senado, que chamou de “grande desafio”. A senadora afirmou que pretende participar ativamente das discussões no Congresso sobre a reforma tributária e política, que considera “áreas capazes de mudar o país”.

Questionada por jornalistas sobre se abordará a questão do aborto no Congresso, ela disse que o tema “terá de ser discutido em algum momento”, mas não é prioridade neste momento.

“A nação já mostrou que se interessa em discutir o aborto”, afirmou. “Mas com certeza o Congresso vai se ocupar principalmente com a reforma tributária, que é um grande entrave para o crescimento do Brasil.”

Marta afirmou, ainda, que não há festa programada para uma eventual vitória de Dilma Rousseff, que lidera as pesquisas de intenção de voto. "É um momento de seriedade e humildade. Temos a certeza da vitória, mas estamos com os pés no chão", afirmou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG