Marina volta a criticar política externa do governo Lula

Em encontro do PV, a candidata afirmou que o Brasil deveria estimular o diálogo na América Latina

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

Futura Press
Marina Silva se reuniu hoje, no PV Estúdio Tratoria, localizado no Bairro da Lapa em São Paulo, SP, com candidatos a governador de diversos estados
A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, voltou a criticar nesse domingo (25) a política externa do governo Lula em relação à América Latina. Em encontro com os candidatos do PV aos governos estaduais, a candidata verde afirmou que “faltou proatividade” do governo em dialogar com a região, especialmente no que diz respeito ao conflito entre Venezuela e Colômbia.

“Lamentavelmente a gente se dispersou com ambições maiores fora do nosso continente e das nossas possibilidades regionais de liderar e mediar processos, enquanto que aqui, no nosso entorno e nossa vizinhança, uma série de problemas estão acontecendo em que o Brasil pode dar uma grande contribuição”, disse Marina.

Segundo a candidata, o Brasil deve assumir a liderança pacífica no continente e liderar a mediação dos conflitos que abrangem, especialmente, os países do Mercosul (Mercado Comum do Sul).

Marina também cobrou posicionamento dos adversários José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) sobre as mudanças no código florestal brasileiro que tramitam no Congresso e passaram na comissão especial. A candidata do Partido Verde afirma que “há um silêncio muito grande” por parte dos dois adversários em relação às mudanças. "Quem está dizendo que vai reduzir desmatamento tem que se comprometer em evitar esse estelionato no Congresso Nacional".

Marina Silva também voltou a criticar a ausência dos adversários Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no debate online que estava marcado para esta segunda-feira (26). Ela reiterou o compromisso nacional do partido de participar de todos os debates promovidos pelos veículos de comunicação do País.

Presentes no evento, os candidatos do PV aos governos dos 11 Estados onde o partido tem candidatura própria endossaram a declaração de Marina, especialmente Fernando Gabeira, que disputa o governo do Rio de Janeiro na chapa aliada aos tucanos do PSDB. Gabeira criticou a ausência anunciada de Sérgio Cabral (PMDB) nos debates e disse que a atitudes do adversário “coloca o Rio na lanterna da democracia do País”.

Educação e Segurança
O encontro entre Marina e os candidatos do PV aconteceu no estúdio onde os programas eleitorais de TV estão sendo gravados há mais de três semanas. A candidata tirou fotos com todos os postulantes do PV nos Estados e gravou mensagens de apoio.

Marina voltou a prometer que elevará os investimentos em Educação para 7% do PIB e também realizará uma reforma na área de Segurança Pública. Indiretamente, ela criticou a proposta de José Serra (PSDB) de criar um ministério próprio para área: “Se ficarmos fazendo puxadinhos, mais um ministério, em cima de uma base que esta completamente equivocada, não vamos a lugar nenhum”, atacou.

Sobre o novo plano de governo, que será lançado em São Paulo na próxima terça-feira (27), a candidata disse que não promoverá mudanças significativas, como aconteceu com Dilma Rousseff (PT), que apresentou três versões diferentes para a Justiça Eleitoral. "Estamos fazendo aquilo que já havíamos nos comprometido a fazer, diferente daqueles que apresentaram versões e discursos como se fosse proposta de governo", afirmou Marina, referindo-se também a Serra, que até agora não apresentou sua proposta à Justiça Eleitoral.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG