Marina Silva se diz contra obrigatoriedade de dois documentos

Candidata afirma que não houve uma campanha amplamente divulgada para que a população se preparasse para a nova exigência

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Confiante com seu crescimento nas últimas pesquisas, a candidata à Presidência da República Marina Silva (PV) se mostrou contra, nesta quinta-feira, à obrigatoriedade da apresentação de um documento com foto mais o título de eleitor nas eleições, que serão realizadas no próximo domingo. Segundo ela, não houve uma campanha amplamente divulgada para que a população se preparasse para a nova exigência.

“Tenho dúvidas se foi divulgada com tempo necessário uma campanha informando que as pessoas teriam que ter os dois documentos”, frisou Marina, em uma coletiva de imprensa em um hotel na zona oeste do Rio.

“O melhor é favorecer a participação do cidadão que quer escolher seus representantes. As pessoas mais simples e humildes, que trabalham o dia todo, talvez não tenham se preparado para isso com o tempo necessário. Não é justo que agora sejam frustradas no objetivo de escolher seus representantes”, completou.

Nesta quarta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) não chegou a uma decisão sobre a exigência. Sete dos dez ministros votaram pela inconstitucionalidade da lei, defendendo a obrigatoriedade de apresentar apenas um documento com foto. O ministro Gilmar Mendes, no entanto, pediu vista e suspendeu o julgamento.

    Leia tudo sobre: eleições marinastfvotação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG