Marina Silva diz ser o 'segundo turno viável' contra Dilma

Candidata do PV afirmou que só ela pode criar uma "nova eleição" e não repetir derrota de Alckmin para Lula em 2006

iG Rio de Janeiro |

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva , afirmou ser “o segundo turno viável” e comemorou ter quebrado o que chamou de “plebiscito” entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), depois do fim do debate da TV Globo, entre os presidenciáveis.

“Sou o segundo turno viável, a única em condições de ir para disputar com Dilma e criar uma nova eleição, e não repetir 2006 [quando Geraldo Alckmin perdeu o segundo turno para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva]”, afirmou, na entrevista coletiva.

Marina voltou a defender um segundo turno com duas mulheres, ela e Dilma. “O que está nas ruas é muito maior do que as pesquisas mostram. A sociedade brasileira tem um senso de justiça muito grande e é o momento de uma mulher ocupar o cargo mais relevante da nação”, disse.

A candidata verde também criticou Dilma e Serra por não fazerem perguntas um ao outro neste debate – ambos justificaram que isso se deveu ao modelo adotado, que direcionava temas e, por vezes, quem era perguntado.

“Não me furtei a perguntar a todos. Sinto que os que começaram com uma gana grande de se enfrentar, com a ideia de eleição plebiscitária, quando perceberam que não seria mais, nem sequer se perguntaram espontaneamente”, afirmou Marina.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições marinadebate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG