Pré-candidata do PV participa de sabatina com prefeitos em Brasília. Ela criticou adversários e defendeu ética nas discussões

A candidata do PV ao Palácio do Planalto se emocionou nesta quarta-feira ao falar da saída do PT, em agosto do ano passado, após 30 anos de militância. Durante sabatina com prefeitos em Brasília, Marina disse que não é fácil discursar após anos no partido. Em seguida, alfinetou a adversária petista Dilma Rousseff, ao encerrar o seu discurso. “ O Brasil é maior que os nossos currículos, é maior do que a força de um gerente. O Brasil não precisa de gerente, precisa de um líder”, afirmou.

Durante a época em que ocupou a Casa Civil, Dilma ganhou o apelido de gerente do governo por coordenar programas que são vitrine da campanha, como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

A pré-candidata do PV comparou a própria campanha como uma guerra entre "Davi e Golias", mas afirmou não temer a disputa. Mesmo sabendo que a campanha pela reeleição no Senado seria mais fácil, ela se disse pronta para enfrentar discussões sobre o que considera o novo desafio do Brasil: o desenvolvimento sustentável. "É melhor ser uma relvinha no campo do que um bonsai dentro do palácio. No Senado, você se transforma em um bonsai. Há sempre alguém cortando suas raízes", comentou. 

Marina defendeu ética nas discussões e criticou frases de efeito. Minutos antes, o pré-candidato do PSDB, havia sido bastante aplaudido após defender propostas apresentadas pelos prefeitos ao Congresso Nacional, por exemplo. "Época de eleições é uma maravilha, cheia de frases de efeito. Defendo ética de valores, não de cirscuntância", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.