Marina: ¿punição rigorosa¿ para quem vazou dados na Receita

Candidata diz no Acre que ¿descontrole¿ na Receita Federal fragiliza sociedade e instituições.

Nayanne Santana, iG Acre e Rondônia |

A candidata à Presidência da República Marina Silva (PV) pediu “investigação rigorosa e punição séria” para os culpados pelo vazamento de dados sigilosos da filha de José Serra (PSDB) na Receita Federal. Serra também disputa a sucessão do Presidente Lula. Para Marina, “essa situação de descontrole na Receita fragiliza a sociedade e as instituições públicas.”

As declarações da candidata foram feitas em Rio Branco (AC) durante entrevista coletiva. Marina disse que ”não está minimizando” o vazamento de dados da Receita e ressaltou: “Entre uma vitimização relacionada ao caso e a omissão do ministro Guido Mantega (da Fazenda), há uma sociedade que quer explicações.”

“Eu não estou minimizando, em hipótese alguma, o fato de pessoas ligadas ao governador (Serra) ter seu sigilo fiscal rompido. São cidadãos que têm que ter seus direitos respeitados como qualquer outro. Não podemos ser coniventes com declarações que dizem que ‘é assim mesmo’. Eu não sabia que era assim,” ironizou Marina.

Marina disse ainda que se for eleita, “como presidente da República, eu quero estado transparente, profissionalizado e cumpridor da lei.” Em sua primeira visita ao Acre como candidatura à Presidência, falou com a imprensa no final da manhã de sábado (4), na casa da aposentada Iolanda Souza.

Chico Mendes

O local foi escolhido por ser uma das “Casas de Marina.” Durante a entrevista, a candidata lembrou o trabalho do líder seringueiro Chico Mendes, um dos precursores do desenvolvimento sustentável no País. Cumprir agenda como candidata à Presidência na terra natal de Chico Mendes “é voltar às raízes e um compromisso profundo com o Brasil.”

Marina destacou que “a Amazônia não é um problema para o Brasil, mas uma solução para o País em termos econômico, social e cultural.” Ao comentar uma pesquisa IBOPE realizada no Acre que mostra a candidata em terceiro lugar nas intenções de votos, disse que o Estado “é um lugar muito generoso” com ela e que “não há queixas.”

“Tudo que sou na vida política eu devo ao Acre. Então, não tenho cobranças eu tenho compromissos com relação ao meu Estado. Compromisso de continuar trabalhando pela saúde, educação, pelo desenvolvimento sustentável,” assegurou.

Segundo turno

Marina revelou que vai votar no Acre, em uma seção eleitoral localizada no prédio do INCRA, em Rio Branco. “Provavelmente eu irei dormir no Acre. Serei a primeira a votar na minha seção, depois pegarei um avião e irei para São Paulo, onde fica meu comitê de campanha, para acompanhar a apuração e, com certeza, ir para um segundo turno,” disse.

No Acre a candidata cumpriu agenda na capital e no interior do Estado. Visitou o município de Cruzeiro do Sul, distante cerca de 610 km de Rio Branco, onde inaugurou outras “Casas de Marina” e lançou o livro biográfico A vida por uma causa.

No domingo pela manhã, de volta a Rio Branco, Marina reuniu-se com crianças no Parque Ambiental Chico Mendes e por volta das 20h fez sessão de autógrafos de sua biografia.

    Leia tudo sobre: marina eleiçõescasas de marina ac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG