Marina inaugura comitê e elogia UPPs de Cabral no Rio

Primeira "Casa de Marina" na cidade é em favela afetada por desmoronamento nas chuvas ocorridas em abril

Samia Mazzucco, iG Rio de Janeiro |

Acompanhada pelo candidato ao Governo do Estado pelo PV, Fernando Gabeira, pelo presidente do da do partido no Rio de Janeiro, Alfredo Sirkis, e pela vereadora Aspásia Camargo, a candidata à Presidência pela legenda, Marina Silva, inaugurou na manhã desta sexta-feira (9) a primeira “Casa de Marina” no estado. O comitê fica no Morro dos Prazeres, em Santa Tereza, no centro da capital. As “Casas de Marina” são comitês informais em casas de voluntários que apoiam a candidatura da senadora.

Durante a inauguração, Marina e Gabeira elogiaram as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), implantadas durante o governo Sérgio Cabral (PMDB) em comunidades antes dominados por facções criminosas. A senadora, no entando, defendeu que o projeto seja expandido "na escala necessária para atender as comunidades que vivem sob área de risco".

"As seguranças urbana e pública se resolvem na parceria do Governo Federal e os estaduais. Uma cidade como o Rio tem que ter uma segurança pública que trabalhe da forma como as UPPs estão trabalhando. Mas é preciso pensar a segurança nos seus diferentes aspectos, com trabalho de prevenção, inteligência e na ação repressiva", afirmou a senadora.

Gabeira disse considerar as UPPs "uma boa saída". O deputado federal ressaltou, no entanto, que com a expulsão do tráfico outros problemas passam a ser enfrentados pela comunidade. "Como a violência contra as mulheres”, exemplificou.

Marina agradeceu o apoio do proprietário do imóvel onde foi instalado seu comitê, Flávio Minervino, 44 anos, que mora no Morro dos Prazeres desde que nasceu. Segundo a candidata, a escolha da comunidade, uma das que mais sofreu com o desastre das chuvas em abril, foi feita justamente porque o lugar necessita de boas soluções.

“É preciso que sejam feitos estudos técnicos para verificar o grau de vulnerabilidade da comunidade, tanto do ponto de vista ambiental quanto social”, disse a candidata.

Apesar de morar em uma área de risco, Minervino afirmou que não pretende sair do local onde cresceu, "apesar das ameaças de remoção da Prefeitura".

Caminhada no centro

Após a inauguração, Marina seguiu para o Centro do Rio, onde fez um corpo a corpo com eleitores no Largo da Carioca.

Durante a caminhada, ela recebeu uma homenagem de um saxofonista, que tocou a música "Marina Morena" de Dorival Caymmi, na entrada da estação Carioca do metrô. "Você me convenceu que sem censura sou bonita, com o que Deus me deu", disse a senadora ao músico, entregando-lhe R$ 10.

Um vendedor de biscoitos pediu um adesivo para a senadora e disse que votaria nela. A candidata, então, deu o adesivo a ele, que o colou no carrinho, e anunciou o primeiro "Carrinho de Marina", referindo-se aos comitês informais nas casas de voluntários.

A candidata foi reconhecida pelo público que passava pelo local, um dos mais movimentados do centro do Rio, porém, não houve tumulto ou grande comoção entre os passantes.

Questionada sobre a proposta do senador Paulo Paim (PT-RS) para a LDO, que pretende vincular o aumento dos aposentados ao aumento do salário mínimo, ela disse não conhecer a proposta, mas que iria analisá-la. "Os aposentados merecem um processo de recuperação para readquirir seu poder aquisito, mas isso tem que ser feito de forma equilibrada porque sabemos que a previdência tem um grave déficit", disse.

Tensão na comunidade

A equipe da rádio CBN que acompanhava a senadora durante a visita ao Morro dos Prazeres foi abordada por traficantes da comunidade, que não tem UPP e é dominada pela facção criminosa Comando Vermelho.

Ao errar o caminho, a equipe parou ao ver um homem armado e com um rádio transmissor. Seguindo as orientações de um morador, o carro se dirigiu então para o local onde estava a candidata e foi abordado no caminho. Desta vez, cinco homens com rádios transmissores perguntaram para onde a equipe ia. Ao serem informados que estavam ali para acompanhar a visita de Marina, tiveram a passagem liberada.

    Leia tudo sobre: MarinaGabeiraRio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG