Marina defende política integrada para combater a poluição

Após passeio em represa na capital paulista, candidata critica falta de tratamento do esgoto e ocupação irregular

iG São Paulo |

Após passeio de barco pela Represa do Guarapiranga, na capital paulista, neste sábado (10), a candidata à Presidência da República pelo PV, Marina Silva, criticou o sistema de saneamento de São Paulo. Segundo ela, 40% do esgoto da cidade não recebe tratamento adequado, vão para rios e voltam para as áreas que abastecem 4 milhões de pessoas.

Para reverter o quadro, a candidata propõe adotar uma política integrada entre os municípios, estados e a União, além do envolvimento com a comunidade para não permitir mais a ocupação irregular das áreas próximas à represa.

AE
Marina Silva durante passeio na Represa Guarapiranga, em São Paulo
Marina Silva lembrou que, pelo fato de São Paulo ser uma cidade com problemas de abastecimento de água, é preciso fortalecer a agência que cuida da bacia hidrográfica e viabilizar a cobrança voluntária pelo uso da água, utilizando os recursos na recuperação da represa, além de cuidar dos mananciais. “Nós temos uma lei de proteção de mananciais que precisa ser implementada, sob pena de pagarmos um preço muito alto, o preço social, ambiental e econômico."

Para ela, é essencial ter uma gestão pública que evite o desperdício dos recursos financeiros, humanos e naturais. “Aqui nós temos um desperdício de recursos naturais que historicamente vem sendo repetido." Marina Silva disse ainda que há um grande número de pessoas interessadas em aderir à cobrança pelo uso da água, desde que o recurso volte para a recuperação da própria bacia.

* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: eleiçõesmarina silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG