Marina critica uso de dossiês em campanhas

Senadora não quis se aprofundar em comentários sobre suposta tentativa de setores do PT produzir documento contra José Serra

AE |

A pré-candidata do Partido Verde (PV) à Presidência da República, senadora Marina Silva (AC), disse esperar que o episódio envolvendo a suposta tentativa abortada de produzir um dossiê dentro da campanha presidencial petista "não resvale a campanha para episódios de triste memória" de eleições passadas. "Em uma campanha, qualquer crítica que se faça do adversário precisa estar bem fundamentada sobre dados da realidade", afirmou.

Esta semana, o pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra, subiu o tom das críticas à petista Dilma Rousseff, ao responsabilizar a adversária pela suposta tentativa de produzir o documento para prejudicá-lo. A suposta tentativa de fabricar o dossiê foi noticiada no último fim de semana pela revista Veja .

Segundo Marina, ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, a experiência passada sobre a elaboração de dossiês mostra que se trata de algo "bastante complicado". Apesar do comentário, a pré-candidata preferiu não se pronunciar de maneira mais crítica sobre o assunto. "Não gostaria de manifestar sobre algo que não tive tempo de analisar. Pretendo me manifestar quando tiver como analisar melhor o que está acontecendo", disse Marina.

O assunto guiou parte do noticiário de hoje. Marina explicou, entretanto, que não teve oportunidade de ler os jornais porque estava envolvida no evento realizado hoje na capital paulista, que marcou a divulgação de suas primeiras propostas na área social. "A única coisa que li no jornal foi a carta de Dom Moacyr (Grehci) porque colocaram na minha frente, o que, aliás, me deixou bastante alegre", afirmou Marina, em referência à carta publicada na Folha de S.Paulo de autoria do arcebispo de Porto Velho (RO), com elogios à ela.

    Leia tudo sobre: dossiêjosé serradilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG