Marina critica troca de cargos por aliança

A pré-candidata do PV à Presidência rechaçou a ¿falsa dicotomia¿ entre estado máximo e mínimo

Luiz Antonio Ryff, iG Rio de Janeiro |

Questionada pela imprensa sobre a crítica de alguns setores a um aparelhamento da máquina pública, a pré-candidata do PV à Presidência criticou o uso político do preenchimento de cargos. Ela defendeu um estado que “não seja provedor de cargos de confiança para fazer alianças políticas”.

Fabrizia Granatieri
Marina participou, neste domingo, de pré-lançamento de candidatura

Ela também criticou o que considera uma “falsa dicotomia” entre “estado máximo” e “estado mínimo”. “Eu gostei muito da frase ‘estado necessário’. Mas mais do que isso, nós precisamos do estado competente, inteligente, transparente, que seja capaz dar eficiência aos tributos que a sociedade brasileira paga, e paga caro, por eles”.

“Na Amazônia têm lugares que você vai entrar com uma lupa e não vai achar o estado. Mas pode ir para outros lugares e, até de olho fechado, você vai esbarrar em cargos de confiança que muitas vezes para atender um apaniguado. Isso sim tem que acabar”.

    Leia tudo sobre: marina silvaeleições 2010presidênciacandidatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG