A presidenciável do PV afirmou neste domingo que o escândalo é "inadmissível" e deixa o sigilo de todos os brasileiros vulnerável

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, cobrou do ministro da Fazenda, Guido Mantega, um posicionamento imediato a respeito da quebra do sigilo de políticos e empresários na Receita Federal. Em reunião com aliados neste domingo, a presidenciável subiu o tom das críticas e classificou como inadmissível o silêncio do ministro em relação ao escândalo.

"Onde é que já se viu mais de 40 pessoas que tiveram suas informações sigilosas quebradas e não se tem uma palavra do Ministério da Fazenda ou do ministro sobre o caso?”, questionou a candidata.

Para Marina, o escândalo mostra “vulnerabilidade” da Receita Federal. Criticando indiretamente o discurso da adversária Dilma Rousseff (PT), Marina apontou que o problema se deve a falhas na gestão do órgão: “Não se pode deixar o cidadão vulnerável dessa forma. Nós temos que ter gestão, pelo amor de Deus. Num mundo em que as pessoas se vangloriam tanto da gerência, que gestão é essa que tanto dizem?”, cutucou.

Marina Silva durante café da manhã com integrantes da campanha em São Paulo, acompanhada do vice Guilherme Leal
Divulgação
Marina Silva durante café da manhã com integrantes da campanha em São Paulo, acompanhada do vice Guilherme Leal
Marina Silva também defendeu a abordagem do assunto dentro do debate eleitoral. Ela criticou o discurso de que o escândalo dos sigilos seja arma contra a candidata que lidera as pesquisas de intenção de voto. Para a senadora, há uma preocupação muito grande com a proteção ao sigilo fiscal de todos os brasileiros. “É um problema de Justiça. É uma situação de descontrole. Tem que ter um responsável por isso. Se isso acontece em uma área tão sensível, imagina o que pode estar acontecendo em outros órgãos”, argumentou.

A presidenciável do PV participou neste domingo de um café da manhã com os responsáveis pela elaboração de seu plano de governo, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo. A reunião discutiu os rumos da campanha e avaliou o desempenho da candidata nas últimas pesquisas de intenção de voto.

Novela eleitoral

As críticas de Marina Silva neste domingo não se resumiram apenas a quebra de sigilos. Ela abandonou o tom conciliador de sempre e fez duras críticas a propaganda eleitoral dos adversários. Segundo Marina, "o programa eleitoral virou quase que a continuidade da novela, só que sem a mesma qualidade".

Em crítica indireta a Dilma Rousseff e ao PT, a presidenciável verde disse que "querem pintar o mundo de cor de rosa, porque vermelho não é mais", usando recursos cinematográficos que mascaram a realidade brasileira. "Existe um Brasil real para ser discutido. A sociedade tem vários tons e cores. Não adianta você achar que tem condições de governar com os que estão a 500 anos com a política velha", disparou Marina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.