Marina ainda não aceitou conversar com a campanha de Dilma

Terceira colocada no primeiro turno diz que consultará a sociedade e as instâncias do próprio partido para decidir a questão

iG São Paulo |

Disputada entre os candidatos ao segundo turno Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), a candidata do PV Marina Silva declarou, nesta noite, que não aceitou conversar sobre o apoio à candidata petista. 
Em comunicado oficial à imprensa, a senadora afirmou que recebeu ligação telefônica do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, na qual ele declarou que gostaria de iniciar conversas sobre as condições do apoio de Marina a Dilma na segunda etapa da disputa eleitoral.

De acordo com nota, a candidata verde teria reafirmado o que já disse a Serra e à própria Dilma: que considera sua candidatura maior que o próprio PV e, por isso, consultará a sociedade e as instâncias do próprio partido para decidir a questão.

Marina negou as declarações atribuídas a Dutra de que teria aceitado conversar sobre o apoio a Dilma, divulgada pela imprensa. “Não passa de puro equívoco ou compreensão incorreta dos esclarecimentos prestados ao dirigente nacional do PT”, informou o comunicado.

Conforme noticiado hoje pelo iG , a coordenação da campanha petista dá como praticamente certo o apoio do PV a Serra. Vários emissários do PT foram destacados para negociar diretamente com Marina um possível apoio a Dilma, mas a campanha trata esta possibilidade com certo ceticismo.

Integrantes da coordenação da campanha afirmam que Marina tem dado sinais de que deve se manter neutra no segundo turno. Por isso as negociações são feitas com discrição. A campanha teme que um possível anúncio de neutralidade por parte de Marina seja interpretado como uma recusa em apoiar Dilma e causar prejuízos à candidata.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG