Marco Aurélio comemora avanço de Dilma em pesquisas

O assessor internacional do presidente Lula comemorou os resultados das pesquisas que colocam a candidata petista empatada com Ser

iG São Paulo |

O assessor internacional do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e um dos coordenadores da campanha do PT, Marco Aurélio Garcia, comemorou hoje os resultados das últimas pesquisas que colocam a candidata petista à presidência, Dilma Rousseff, empatada com o tucano José Serra, mas avisou que ninguém está de salto alto. Marco Aurélio reconhece que a entrada do presidente Lula na campanha ajudou na subida e contestou os que criticavam a candidata, alegando que ela estava cometendo erros. 

"Não estavam dizendo que a Dilma estava muito exposta e gente criticando que ela tinha cometido gafes, trapalhadas, etc? (Os números) Demonstram que não. Acho que a avaliação dos eleitores em relação ao desempenho dela é que foi muito bom", comentou Marco Aurélio, acrescentando que "acha que, obviamente, o peso do presidente é muito grande, mas é óbvio também que a exposição da Dilma como candidata funcionou muito para colocá-la para cima". E avisou: "acho que os analistas vão quebrar a cara de novo". 

As declarações de Marco Aurélio Garcia foram dadas esta tarde, após cerimônia de lançamento do canal internacional da TV Brasil, no Itamaraty. Ele disse que, "achava que a tendência era essa (de subida nas pesquisas)". Mas foi cauteloso ao comentar os números, embora alertasse que ela se expôs muito mais: "se a Dilma, que é mulher, não quer pôr salto alto, imagina eu se vou por salto alto. Muito pelo contrário". Questionado se considera que a tendência é de ela continuar subindo, respondeu: "Não sei. Nós temos uma ótima candidata, com bom programa, com bom apoio do presidente Lula. Vamos esperar que tudo isso dê certo". 

Marco Aurélio não acredita em mudanças na campanha por causa das multas aplicadas à candidata e ao presidente. "Acho que não. Tem de ter cuidado, além do que essas multas vão ser submetidas a outras instâncias", declarou ele, acrescentando que esta foi uma interpretação da Justiça eleitoral e que considera "ruim judicializar uma campanha eleitoral". Questionado se os partidos aliados ao governo não poderiam ter entrado na Justiça também contra o PSDB, o Garcia desabafou: "Futebol é no campo. No tapetão, não." 

O assessor especial evitou polemizar sobre a decisão da Justiça eleitoral, justificando que tem de pagar as multas. "Você quer que eu discuta a decisão do poder Judiciário? Não. Tem de pagar as multas", disse ele. Perguntado se o presidente Lula já pagou as multas recebidas, Marco Aurélio afirmou que não e ironizou: "não (pagou e) nem eu vou emprestar dinheiro para ele porque estou muito pobre".

    Leia tudo sobre: dilmaserraptpsdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG