Maranhão: candidatos centram fogo em Jackson Lago

No debate desta noite, ex-governador pedetista foi alvo de críticas dos candidatos do PSOL e do PSTU

Wilson Lima, iG Maranhão |

Ao contrário do que se imaginava, o debate TV Mirante – Rede Globo não ficou polarizado em críticas ao governo Roseana Sarney (PMDB) ou à suas gestões anteriores. As maiores críticas foram destinadas ao ex-governador Jackson Lago (PDT) pelos candidatos Saulo Arcangeli (PSOL) e Marcos Silva (PSTU).

Saulo Arcangeli criticou Lago por ter aprovado a Lei do Subsídio aos professores da rede pública estadual de ensino quando era governador e também por não ter realizado programas de reforma agrária no Estado. Já Silva criticou Lago de ter feito uma aliança com o PFL (hoje DEM), quando ele era prefeito de São Luís. Dino também foi criticado por Arcangeli. O candidato do PSOL citou uma aliança do comunista com o prefeito Humberto Coutinho, da cidade de Caxias.

Coutinho é acusado pelo Ministério Público Estadual do Maranhão (MPE) de ter integrado um esquema de corrupção durante o governo José Reinaldo Tavares. “Você está uma das oligarquias, a do coronel Humberto Coutinho”, disse Arcangeli em referência a Dino. “Fico triste em ver que você está usando o mesmo argumento das oligarquias do grupo Sarney”, rebateu o comunista.

Os momentos de embate direto entre os três principais candidatos foram raros. Entre Roseana e Lago, houve apenas um momento de confronto, quando ambos trocaram acusações relacionadas ao projeto habitacional PAC Rio Anil.. Lago afirmou que Roseana interrompeu o projeto e a pemedebista rebateu afirmando que os atrasos já vieram da gestão pedetista.

Entre Dino e Roseana houve também apenas um embate direto, no qual o comunista fez uma pergunta relacionada ao que ele chamou de falta de avanço do Maranhão durante os dois primeiros mandatos da pemedebista. Roseana justificou afirmando que os recursos eram escassos, algo na casa dos R$ 100 milhões na época, conforme a governadora.

Segundo Roseana, as acusações de Dino de que houve inoperância governamental foram injustificadas. A pemedebista afirmou que na década de 1990, o governo federal não dava atenção ao nordeste como ocorre atualmente. “Em primeiro lugar, há dez anos nós não tínhamos o Lula como presidente. O nosso orçamento era de R$ 100 milhões. Tínhamos que fazer tudo quanto fosse possível. Na época, o FHC não olhava para o nordeste. Ele não olhava para os pobres”, citou.

Já entre Dino e Lago, também houve apenas um embate direto quando eles discutiram problemas ligados à infra-estrutura do Maranhão. Entre uma ou outra resposta aos candidatos do PSOL e PSTU, Dino e Lago aproveitaram para tecer críticas indiretas à ações do governo Roseana Sarney na área de economia, infra-estrutura, saúde e saneamento.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições madebate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG