Lula leva 100 mil às ruas de Recife e ofusca nome de Dilma

Acompanhado do governador reeleito Eduardo Campos, Lula seguiu em carro aberto pelas ruas da capital pernambucana

Ricardo Galhardo e Ana Carolina Dias, iG Pernambuco |

Agência Estado
Presidente Lula desfila em carro aberto em Recife

Mais de 100 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, lotaram as ruas do Centro de Recife no início da noite desta sexta-feira para saudar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O que deveria ser uma caminhada silenciosa de apoio à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , se transformou em uma festa barulhenta de despedida para o presidente na capital do Estado onde nasceu e tem os melhores índices de aprovação. 

O nome de Dilma foi ofuscado pela figura do presidente que desfilou na carroceria de um caminhão ao lado do governador reeleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), os senadores eleitos Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro (PTB). Outros políticos menos cotados foram em outro caminhão, entre eles o ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti (que se afastou devido a suspeitas de cobrança de propina).

Toda vez que militantes tentavam entoar nome de Dilma o grito era encoberto pelo coro “Lula guerreiro do povo brasileiro”. Até o jingle “Dilma Lá”, gravado pelo músico mineiro Wagner Tiso, voltou a ser “Lula Lá” na voz dos pernambucanos.

A caminhada parou o centro de Recife. No percurso de três quilômetros entre a Praça Oswaldo Cruz e o Largo do Carmo. Durante todo o caminho as pessoas se amontoavam nas calçadas, pontos de ônibus e marquises dos prédios para se despedir do presidente.

Quando a caminhada entrou na avenida Conde da Boa Vista duas máquinas instaladas na janela de um prédio de escritórios lançaram uma chuva de papel picado brilhante sobre a multidão.

Ensopado de chuva, Lula parecia emocionado.

A presença de pelo menos três orquestras de frevo e um bloco de maracatu, além do farto consumo de cerveja (vários ambulantes vendiam a bebida no local da concentração), transformaram o ato político numa espécie de carnaval fora de época.

Apesar da instalação de grades em alguns pontos da caminhada, na maior parte do tempo Lula estava em contato direto com a população e a toda hora se esticava para cumprimentar as pessoas. O general Gonçalves Dias, chefe da segurança presidencial, balançava a cabeça em sinal de desaprovação.

Para decepção de muitos militantes, ao chegar no Largo do Carmo, Lula apenas se despediu, entrou no carro e foi embora sem falar. Organizadores tiveram que explicar para os mais desapontados que a legislação eleitoral proíbe discursos nos dois últimos dias de campanha.

De Recife, Lula foi para Brasília. O presidente vai passar o sábado em São Bernardo do Campo, onde vota no domingo de manhã e depois volta a Brasília para acompanhar a apuração ao lado de Dilma.

Durante a caminhada, o cadeirante Antonio Carlos Pereira, não escondeu a emoção. “Mesmo com todas as dificuldades que um deficiente físico passa, estou aqui para prestigiar o presidente Lula. Sempre acompanhei a trajetória do Lula”. Pereira pontuou que a última caminhada do presidente em Pernambuco. “É com muita tristeza que vejo a saída do presidente, mas acredito que a força da mulher irá se fazer presente”.

Irene Freitas, representante do movimento LGBT no Recife, hasteava com bastante alegria a bandeira do movimento. Irene afirma que é com bastante satisfação que acompanha a caminhada do presidente. “Gosto muito do governo de Lula. Acredito que as questões do movimento LGBT foram bastante debatidas. Atualmente, a discussão dos homossexuais não está sendo tratada de maneira certa. Apenas queremos ser iguais”. Durante a caminhada, Irene afirma que o governo de Lula e agora, “se Deus quiser”, o governo de Dilma, tratará as questões dos homossexuais de maneira mais igualitária. “Estou aqui para dizer que o movimento LGBT apóia a candidata Dilma Rousseff”.

O estudante Francisco Shimada vê com bastante entusiasmo essa visita do presidente ao Recife. “Quero, no dia da posse, estar presente para ver os deputados federais, junto com o presidente Lula, entregando a faixa à primeira presidenta mulher do Brasil”. Shimada ainda afirma que desde 2002 acompanha os comícios e os atos públicos de Lula.

Durante o percurso, o presidente ouviu inúmeras declarações de apoio, ganhou presentes – como uma sombrinha de frevo e um chapéu de vaqueiro nas cores de Pernambuco – e um “Parabéns para Você” em razão do seu aniversário celebrado anteontem.

    Leia tudo sobre: eleições peeleições dilmalulacampanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG