Lula faz discurso religioso em inauguração no Rio

No Complexo do Alemão, presidente ressaltou importância da união das três esferas governamentais

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

A menos de uma semana do segundo turno das eleições, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez agradecimentos a Deus e referências a passagens bíblicas na manhã desta segunda-feira (25) durante a inauguração de dois conjuntos habitacionais do programa "Minha Casa, Minha Vida", no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. O tom religioso usado por Lula tem permeado as campanhas dos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) e se mostrado importante na disputa por votos.

Ricardo Stuckert / PR
Lula entrega chave de apartamento para moradora do Complexo do Alemão
“Todo dia temos que levantar nossas mãos para o céu e agradecer por mais um dia. Muitas vezes, a gente se levanta nervoso com coisas menores e esquecemos que o dom maior é a nossa vida e, por ela, temos que agradecer todo dia ao nosso Criador”, disse o presidente, para uma plateia de pessoas de baixa renda.

Durante a cerimônia de inauguração, Lula também elogiou o processo de pacificação de favelas cariocas – que ainda não chegou ao Complexo do Alemão. Para o presidente, projetos como esse são importantes para que o Rio deixe de aparecer somente nas páginas policiais dos jornais.

"É preciso criar a ideia de que o Rio de Janeiro não é um Estado de bandidos e traficantes. É verdade que aqui tem, mas tem em qualquer lugar. Nós temos que provar, todo santo dia, que a maioria do povo daqui é povo que vive do seu salário, do seu suor e do seu sangue", declarou.

Lula completou o discurso elogiando o governador reeleito Sérgio Cabral (PMDB) - seu aliado político - e ressaltando a importância da união das três esferas de governo: "Fui presidente da República quando este Estado não tinha o Sérgio Cabral como governador e eu sei o quanto era difícil a gente construir qualquer coisa para trabalhar aqui no Rio de Janeiro porque havia sempre a necessidade de contrariar e não aceitar a intromissão do presidente da República", relembrou.

"Posso dizer para vocês que esse milagre da multiplicação dos pães aqui no Rio de Janeiro se deve à capacidade de interlocução que tem o Sérgio Cabral, que tem o companheiro Pezão, e que tem o Eduardo Paes na prefeitura", finalizou, fazendo referência à passagem bíblica que cita o milagre realizado por Jesus Cristo.

Manguinhos

Após a cerimônia no Complexo do Alemão, Lula seguiu para o bairro de Manguinhos, também na zona norte do Rio, para a inauguração de um conjunto habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Faltando pouco mais de dois meses para deixar a Presidência da República, ele aproveitou para anunciar novas moradias que serão construídas a partir de 2011 para pessoas que ganham de zero a três salários mínimos. "A partir do ano que vem, já temos dois milhões de casas para construir do 'Minha Casa, Minha Vida'", disse.

Já Cabral, em seu discurso, parabenizou a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, e aproveitou para estender o elogio a todas as mulheres escolhidas por Lula para ocupar um cargo no governo. "Nunca vi um homem escolher tão bem as suas companheiras de trabalho como o Luiz Inácio Lula da Silva. Só tem mulher craque ao lado dele", disse o governador reeleito, sem citar o nome de Dilma Rousseff, ex-ministra-chefe da Casa Civil do governo Lula e atual candidata do PT à presidência da República.

Quando a cerimônica acabou, cerca de dez operários que trabalham nas obras do PAC em Manguinhos - para a elevação da linha férrea - agitaram uma bandeira da candidata petista e gritaram o nome dela. A intervenção está sendo realizada em frente ao conjunto habitacional inaugurado nesta segunda-feira.

    Leia tudo sobre: eleições rjluladilma rousseffjosé serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG