Lula diz governo será só de Dilma; p governo só dela. Siga

Lula comenta pela primeira vez a eleição de sua sucessora Dilma Rousseff

Ricardo Galhardo, enviado, e Andréia Sadi, iG Brasília |

Em seu primeiro pronunciamento desde a vitória de Dilma Rousseff nas urnas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva procurou dar o recado de que não vai interferir no governo de sua sucessora. Segundo Lula, Dilma tem todas as condições de comandar o País e garantiu que o governo de Dilma será "só dela". 

Assista à transmissão da entrevista coletiva ao vivo pelo site do Palácio do Planalto

Lula disse que Dilma poderá montar uma equipe "excepcional", já que conhece mais gente do que ele próprio conhecia quando assumiu, em 2002. "Se o time não tiver treinado, com muita harmonia entre os jogadores, o jogo não pode dar certo", disse Lula. "Ela vai montar uma equipe excepcional."

A entrevista conjunta de Lula e Dilma foi concedida após a presidenta eleita participar de um café da manhã com seu vice, deputado Michel Temer (PMDB-SP), indicado ontem para compor a equipe de transição. Do encontro com o peemedebista, Dilma seguiu para o Palácio do Planalto para o primeiro pronunciamento ao lado do presidente.

Lula disse que o governo de Lula tem que ter "a cara" dela, inclusive no que se refere à composição. "É ela e, somente ela, que tem que dizer quem ela quer. O ex-presidente não indica e não veta”, disse Lula. Ainda assim, o presidente disse que, por enquanto, as notícias que circulam sobre o novo ministério não passam de especulação. “Já passei pela experiência de acordar de manhã e ver a foto de uma pessoa que aparece lá como ministro que eu nunca vi na vida.”

Sobre a transição, Lula disse que ao contrário do que ocorreu com ele próprio em 2002, Dilma vai pegar a casa funcionando. Com as tradicionais metáforas, o presidente e comparou com carro. “O carro está na garagem. O carro está andando a 120 por hora e se ela quiser pode acelerar um pouco mais. Ela só tem que dirigir com responsabilidade.”

Dilma, que assumiu os microfones logo em seguida, falou, por exemplo, sobre algumas medidas que planeja para o novo governo. Ela garantiu, por exemplo, que não tem planos de encaminhar proposta para recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), cuja extinção marcou uma das maiores derrotas do governo Lula no Congresso. Dilma disse ainda que tratará como prioridade a condução de obras de infraestrutura.

Dilma garantiu ainda que não vai pemitir que o governo seja comandado de acordo com os interesses de aliados. Mas avisou que não tem a intenção de fazer um anúncio fragmentado sobre a composição do novo governo.

    Leia tudo sobre: eleições dilmaeleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG