Lula critica gestão do PSDB na área da educação em São Paulo

Em ataque aos tucanos paulistas, o presidente disse que a elite que governou o Estado nunca colocou os pobres nas universidades

Agência Estado |

selo

Agêcia Estado
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de inauguração do campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia São Paulo, em Suzano (SP)
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje, duramente, a gestão do PSDB na área educacional no Estado de São Paulo nos últimos anos, num ataque indireto ao presidenciável tucano José Serra e a Geraldo Alckmin, candidato da legenda ao Palácio dos Bandeirantes. Sem citar nomes, Lula alfinetou: "A elite que governou São Paulo nunca se importou em colocar os pobres para estudar nas universidades. "E emendou: "Isso é uma vergonha para a elite que governou São Paulo nos últimos anos."

O presidente, que participou pela manhã da inauguração do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), em Suzano, na região leste da Grande São Paulo, também atacou de maneira indireta o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. "Tivemos presidente doutor com pós-graduação no exterior que não construiu uma universidade (no Brasil). Claro, ele já tinha aprendido. Para quê ensinar para os outros?", ironizou, arrancando aplausos da maioria do público de cerca de 300 pessoas. E salientou que o povo brasileiro quer ter o direito de ser "doutor, engenheiro e não só pedreiro".

Ainda nas críticas à "elite que governou São Paulo", o presidente disse que só eles achavam que tinham direito de fazer graduação aqui e depois fazer pós-graduação em Chicago, Paris ou Londres. Enquanto isso, os pobres não tinham sequer direito de terminar o ensino fundamental. Segundo Lula, São Paulo é um dos Estados mais ricos da federação e tem uma das melhores universidades do País, que é a Universidade de São Paulo (USP), mas infelizmente apenas 96 mil estudantes podem cursá-la.

O presidente lembrou que só o ProUni - programa de sua gestão - já possibilitou o ingresso de 194 mil alunos no ensino superior em São Paulo, e no País, a abrangência deste programa é de 704 mil alunos. E disse que seu governo atende a todos, independentemente de partido. "Vocês podem viajar por todo o País e perguntar para qualquer prefeito de qualquer partido, até do DEM e PSDB (adversários do PT nessas eleições majoritárias) se já negamos qualquer verba que eles foram pedir." E voltou a alfinetar: "Enquanto a elite queria construir pontes e viadutos para colocar nomes de mães e tias, nós estamos construindo saneamento básico."

Em Suzano, Lula falou também aos jovens, dizendo que eles não devem ter preguiça para estudar e cursar uma universidade. "Para constituir família, casar e ter filhos, tem que ter estudo e uma boa renda." E citou as mulheres, maioria do eleitorado no País, destacando que elas também devem estudar para não depender dos maridos e companheiros. "A gente tem que ficar com a pessoa porque gosta e não em troca de um prato de feijão. A mulher não tem que aguentar desaforo dos homens. Elas podem ganhar mais que os homens sim."

    Leia tudo sobre: Eleições DilmaEleições Serraeleições SPpleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG