Lula ataca tucanos em SP e exige 'alma' na campanha de Mercadante

Candidato do PT ao governo paulista recebe mais atenção do presidente do que Dilma, líder nas pesquisas pela Presidência

Matheus Pichonelli e Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Em seu primeiro comício em São Paulo desde o início da campanha, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou Dilma Rousseff (PT) em segundo plano nesta sexta-feira e, na tentativa de alavancar a candidatura de Aloizio Mercadante (PT) em São Paulo, elevou o tom das críticas aos adversários tucanos e chamou de “roubo” o preço cobrado nos pedágios das rodovias paulistas.

Agência Estado
Marta, Mercadante, Lula e Dilma durante comício em Osasco (SP)
Dirigindo-se a Mercadante, Lula afirmou: “Você quer uma razão para ganhar as eleições? Eu vou te dar uma razão. Quem viaja de São Paulo a Belo Horizonte percorre 590 km e paga R$ 7,70, se viajar de carro com a família. De São Paulo a Ribeirão Preto são 300 km e R$ 43”. E completou: “Isso não é pedágio, isso é roubo. Um roubo ao povo brasileiro”.

Foi uma espécie de “pito” público no senador petista, que tem sofrido críticas de setores do PT por realizar uma campanha pouco incisiva em relação aos rivais, que governam São Paulo há 16 anos.

Lula acusou os adversários de serem “arrogantes” e disse que Mercadante é o único candidato da disputa em São Paulo que pode fazer inovações. O presidente afirmou que os tucanos têm “a mesma matriz” dos governadores que administram o Estado desde 1982. “São Paulo achava que não precisava do Brasil e que o Brasil não precisava de São Paulo”. Lula sugeriu que Alckmin desconhece os repasses feitos pelo governo federal ao governo paulista, entre os quais 50% das verbas para a educação no Estado.

O discurso de Lula feito durante comício em Osasco (Grande São Paulo) ocorreu pouco depois de Mercadante pedir votos para conseguir ir para o segundo turno. O presidente classificou como “inadmissível” que se fale em segundo turno em uma campanha que começou há poucos dias. “Temos que trabalhar pensando no primeiro turno”, disse. Ele comparou a campanha de Mercadante a um lutador de boxe, que aceita ser derrotado na primeira luta e conta com a possibilidade de revanche. Corintiano, Lula lembrou que seu time perdeu a vaga nas quartas-de-final da Libertadores deste ano, prioridade para a equipe, por acreditar que poderia se classificar com um resultado melhor no segundo jogo contra o Flamengo. Para Lula, esta postura é uma “bobagem”.

O presidente cobrou empenho também dos coordenadores da campanha de Mercadante e fez um apelo para que trabalhassem em tempo integral para elegê-lo. Presente no palanque, o coordenador da campanha de Mercadante, Emídio de Souza, prefeito de Osasco, ouviu de Lula que era preciso deixar o cargo na mão do vice-prefeito para atuar o tempo todo até o último dia da eleição.

Lula, que chegou a brincar com Mercadante dizendo que ele não sabia dançar, cobrou do senador uma campanha com menos dinheiro e mais emoção. “Bote alma na sua propaganda de rádio e de TV”. O presidente disse isso a uma plateia formada majoritariamente por cabos eleitorais pagos.

Líder do governo no Senado durante quase toda a gestão de Lula, Mercadante ainda patina nas pesquisas de intenção de voto e vê o principal adversário, Geraldo Alckmin (PSDB), com chances de vitória logo no primeiro turno.

“Vou fazer o que estiver ao meu alcance para fazer o Aloizio governador”, disse Lula, que afirmou também que vai priorizar a campanha em dois Estados a partir de agora. Um dos Estados é São Paulo e o outro, segundo fontes da campanha petista, é Minas Gerais.

O motivo de o presidente Lula ter priorizado Mercadante é o fato de Dilma já estar liderando as pesquisas da corrida presidencial. Durante o comício, circulou nos bastidores que uma pesquisa a ser divulgada neste final de semana aponta uma vantagem ainda maior da petista sobre o tucano José Serra, mostrando que se a eleição fosse hoje, Dilma seria eleita com números acima da margem de erro.

Dilma e Marisa

A candidata petista à presidência, que deveria ser a estrela do comício, também dedicou boa parte de sua fala a pedir votos para Mercadante. Além disso, Dilma fez um discurso voltado para o eleitorado feminino destacando a presença no palanque da primeira-dama, Marisa Letícia, que nas últimas semanas passou a ter um papel importante na campanha. Nesta sexta-feira, Marisa participou de uma caminhada pelo candidato petista ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. “Esta será uma eleição que vai dignificar as mulheres deste País”, disse Dilma

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições sppleito 2010MercadanteDilmaLula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG