Luciana Genro não se reelege à Câmara dos Deputados

Filha de governador eleito é a oitava mais votada no Rio Grande do Sul, mas não obtém coeficiente eleitoral mínimo

iG São Paulo |

A candidata Luciana Genro, do PSOL, obteve a oitava maior votação para uma vaga na Câmara dos Deputados na disputa eleitoral no Rio Grande do Sul. Mas ela não se elegeu porque não conseguiu o coeficiente eleitoral mínimo para obtenção da vaga.

Filha do ex-ministro Tarso Genro, eleito pelo PT no primeiro turno na corrida ao governo do Rio Grande do Sul, Luciana Genro teve 129.501 votos, o equivalente a 2,16% do total. Para eleger cada deputado federal, o partido ou coligação necessitaria atingir 261.686 votos. O PSOL, que saiu sozinho na eleição, teve menos de 170 mil votos no Rio Grande do Sul.

A deputada federal Manuela D’Ávila, do PCdoB, foi a candidata mais votada pelos gaúchos. Ela obteve 482 mil votos, seguida dos deputados do PSB, Beto Albuquerque (200 mil votos) e do PP, Luís Carlos Heinze (180 mil votos) e do ex-goleiro Danrlei, ídolo do Grêmio nos anos 1990 e estreante na Câmara dos Deputados, que ficou com 173 mil votos.

    Leia tudo sobre: eleições RSLuciana GenroTarso GenroCâmara

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG