Lobby: MP não será instrumento de Dilma nem de Serra, diz Gurgel

PGR prega cautela e sinaliza que investigações do caso Erenice não devem ser concluídas antes das eleições

Severino Motta, iG Brasília |

O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, disse nesta quarta-feira que o Ministério Público (MP) está preocupado em não se tornar “instrumento” de campanha. Por isso, pregou cautela nas investigações sobre ações de lobby feitas por Israel Guerra, filho da ministra Chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, e sinalizou que as apurações não devem ser concluídas antes das eleições.

“De um lado o MP não servirá de instrumento daqueles que tem interesse em mostrar o envolvimento do governo e por outro lado não deixará de apurar o que tem para apurar para preservar qualquer posição do governo. O MP tem essa preocupação de não virar instrumento de campanha, falando bem claro, nem da campanha da ministra Dilma nem da campanha do governador Serra”, disse Gurgel.

Sobre o prazo para as investigações, Gurgel disse que o MP não vai trabalhar de acordo com o calendário eleitoral. Mesmo taxando como grave os fatos apontados pelas matérias que dão conta do lobby de Israel, o Procurador alegou que tudo ainda está em fase preliminar de apuração, não sendo possível afirmar se a ministra Erenice está ou não envolvida no caso.

“As notícias apontam para fatos graves, mas não temos elementos nenhum que aponte a responsabilidade, se envolve ou não envolve a ministra (...) O MP atuará independentemente da campanha. O Tempo do MP não é o tempo da campanha política”, disse.

    Leia tudo sobre: eleiçõespgrerenicemp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG