Líderes evangélicos batem boca sobre apoio na eleição

Posicionamento político dos evangélicos, via bate boca virtual, mexeu com os ânimos de fiéis na internet

Agência Estado |

selo

O bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, e o pastor Silas Malafaia, da Associação Vitória em Cristo, protagonizaram nesta semana um bate-boca virtual sobre o posicionamento político das duas denominações evangélicas. O duelo mexeu com os ânimos de fiéis na internet.

Em seu blog, o bispo Macedo, que apoia Dilma Rousseff (PT) e comanda cerca de 6 milhões de seguidores, acusou Malafaia de se deixar enganar por um "profeta velho" ao declarar voto em José Serra (PSDB). O "engano" de Malafaia, afirmou o bispo, tem relação com o posicionamento do candidato em dois temas críticos entre os evangélicos: união civil de homossexuais e aborto.

Para questionar Malafaia, Macedo mencionou o fato de o tucano ter declarado não se opor à união civil de homossexuais e a um relato não confirmado de que Monica Serra, mulher do presidenciável, teria feito um aborto - versão que o candidato nega com veemência.

Malafaia, em dois vídeos postados no site YouTube, que ao todo somam 23 minutos, retruca o bispo também citando passagem bíblica. "Até o tolo quando se cala se passa por sábio. Edir Macedo perdeu uma oportunidade fenomenal de ficar calado, mas como falou é pior do que tolo", afirmou Malafaia.

O pastor enumerou "cinco mentiras e duas insinuações maldosas" de Macedo no texto publicado e o classificou como "teologicamente ignorante". Segundo Malafaia, entre as "mentiras" de Macedo está o fato de que tanto Dilma como Serra não se opõem à união civil homossexual. Ele acusa o bispo por usar calúnia e difamação por citar Monica Serra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: eleições dilmaeleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG