Lideranças destacam Dilma na frente no 2º turno

Políticos do governo e da oposição avaliam que desempenho da candidata no Datafolha demonstra a força da TV na campanha

iG Brasília |

Governistas e oposicionistas ficaram impressionados com o efeito do programa de TV do PT no resultado da última pesquisa Datafolha sobre disputa pelo Palácio do Planalto, principalmente com o fato de a candidata petista, Dilma Rousseff, ter aparecido, pela primeira vez, à frente de José Serra (PSDB) no levantamento sobre um eventual segundo turno.

De acordo com pesquisa divulgada no sábado pelo jornal “Folha de S. Paulo”, Dilma bate Serra no segundo turno por um ponto percentual. Num universo de 2.660 entrevistados, a petista obteve 46% de intenções de voto e o tucano 45%. Dentro da margem de erro de dois pontos percentuais, eles estão empatados.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Fernando Ferro (PE), afirmou que ainda é cedo para se comemorar, mas reconheceu que Dilma vive um bom momento. “É importante quando a gente acerta. Mas será uma campanha muito disputada. Não podemos nos acomodar”, disse. “Eu pessoalmente acho que não teria sido ruim se ela tivesse crescido só adiante”, completou.

Além de apontar como destaque desempenho de Dilma no levantamento sobre o segundo turno, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) ressaltou o crescimento da candidata petista no Sul do Brasil. De acordo com o Datafolha, Dilma subiu nove pontos percentuais na região e atingiu 35% das intenções de voto. Serra caiu dez pontos e agora está com 38%.

“Dilma construiu sua carreira no Sul é uma candidata competitiva. Eu sempre disse que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva mudou de rumo depois que José Dirceu saiu da Casa Civil e ela entrou”, disse Simon

O senador é também presidente do PMDB do Rio Grande do Sul, que está dividido entre o tucano e a petista. “No Rio Grande do Sul, o problema é a governadora [Yeda Crusius, do PSDB] que não ajuda muito, principalmente quando trata o PMDB como adversário”, afirmou Simon.

Líder do PSDB na Câmara, o deputado João Almeida (BA) reconhece o potencial da candidata do PT e acha natural o fato de ela ter aparecido na frente de Serra na pesquisa sobre o segundo turno.

“Nunca achei que ficaríamos por muito tempo com oito, dez pontos de diferença. Essa é uma campanha disputadíssima. A vitória terá de ser conquistada na orelha”, disse. “Mas ainda está no começo a coisa vai se equilibra em agosto, com o inicio do horário eleitoral gratuito”.

Oposicionista e defensor da candidatura de Serra, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) afirmou que a diferença de um ponto percentual ainda é pequena para avaliar a força da candidata do PT no segundo turno.

“Está dentro da margem de erro de dois pontos. Além disso, Dilma teve uma superexposição na TV, o que a ajudou muito nesta pesquisa”, disse Demóstenes. “Para mim, a campanha só vai começar de fato depois da Copa do Mundo”, completou.

    Leia tudo sobre: 2 turnoDilmaSerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG