Líder do PMDB prevê aumento do apoio a Temer em São Paulo

Com desistência da candidatura Quércia, ala "Dilmista" do PMDB de São Paulo quer os votos dos eleitores quercistas

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

A ala do PMDB de São Paulo que apóia a candidatura da petista Dilma Rousseff prevê que, com o afastamento de Orestes Quércia (PMDB) da disputa pelo Senado, vai aumentar a adesão de prefeitos, vereadores e demais lideranças pemedebistas à candidatura da petista. O vice na chapa de Dilma é o paulista Michel Temer, presidente do PMDB.

“A adesão à candidatura Michel Temer vai ser muito maior. Os pemedebistas de São Paulo tinham a orientação direta do Quércia em pessoa. Agora, o que eles têm é o Temer”, disse o prefeito de Rio Claro, Du Altimari (PMDB), do PMDB que é coordenador da campanha de Dilma no Estado de São Paulo e do comitê suprapartidário Dilma/Temer.

Na sexta-feira da semana passada, Altimari enviou uma carta aos pemedebistas do Estado na qual lembrava os “vínculos históricos” do PMDB de Ulysses Guimarães e o PT de Lula, como a campanha das Diretas Já, em 1984. Na carta, Altimari também conclamou o partido a se engajar na candidatura Dilma para que ela e Temer sejam eleitos ainda no primeiro turno. Agora, com a ausência de Quércia, que era o principal empecilho do partido em São Paulo, Altimari espera uma debandada em grande escala em direção à chapa Dilma/Temer.

Altimari disse também que, apesar de o próprio Quércia ter pedido apoio ao tucano Aloysio Nunes Ferreira na corrida ao Senado, isso ainda vai depender de negociações internas no partido. “Ainda não sabemos o que vamos fazer quanto à eleição para o Senado. Não decidimos se escolhemos um candidato de outro partido ou se vamos deixar isso em aberto”, disse o prefeito de Rio Claro.

Ricardo Galhardo

    Leia tudo sobre: eleições spquérciaaloysiotemer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG