Prefeito de São Paulo comparece ao velório do senador petebista, que acontece na Assembleia Legislativa de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), compareceu ao velório do senador Romeu Tuma na noite desta terça-feira e afirmou na saída que o ex-diretor geral da Policia Federal foi um exemplo de homem público para os jovens que desejam entrar para a política.

Segundo o prefeito de São Paulo, Tuma foi muito dedicado ao seu trabalho à frente de varios órgãos públicos como a própria PF ou a Receita Federal. "Todos os cargos ocupados por Romeu Tuma foram com muita dedicação, desprendimento e espírito público. Também era um cidadão exemplar e um pai de família dedicado. Ele deixa um legado de realizações, competência e solidariedade", disse Kassab.

Alem do prefeito, o senador Aloisio Mercadantes, ex-candidato do PT ao governo de SP, compareceu a cerimônia de despedida do colega de Senado, lembrando da participação dele em todas as comissões parlamentares que discutiam a Segurança Pública no Brasil.

Mercadante lembrou que Romeu Tuma era representante brasileiro no parlamento do Mercosul, e sempre se dedicou a discutir a integração continental dos países do bloco e o combate conjunto ao trafico de drogas. "O Tuma tinha uma dedicação ao serviço publico muito rara de se ver. Era um compromisso muito enraizado com o Estado de São Paulo, principalmente nas questões sobre violência e trafico de drogas", declarou Mercadante.

Já o criminalista Márcio Thomaz Bastos foi o escolhido pela presidenciável Dilma Rousseff (PT) para representá-la no velório do senador Romeu Tuma, falecido nesta terça em São Paulo. O advogado chegou ao velório por volta das 21h10 e disse que tem um profundo respeito pela memória do ex-delegado geral da Polícia Federal.

"Venho aqui hoje em meu nome pessoal, sou amigo dele (Romeu Tuma) e da família dele, mas também em nome da candidata Dilma, que me pediu para que a representasse junto à família. Ela me pediu para que trouxesse uma mensagem de carinho, sentimentos e pêsames", disse o ex-ministro.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.