Justiça Eleitoral proíbe inserções do DEM

Suspensão foi pedida pelo PT, que acusa partido de promover José Serra

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O ministro Aldir Passarinho Junior, corregedor-geral eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu a veiculação de inserções publicitárias do DEM que iriam ao ar na noite deste quinta-feira e nos dias 22 e 25 de maio no Estado de São Paulo. A suspensão foi pedida pelo PT sob a alegação de que o DEM estaria usando o horário destinado ao partido para fazer propaganda do pré-candidato do PSDB à presidência, José Serra.

No programa veiculado na terça-feira, o DEM fez diversas referências a Serra e chegou a exibir imagens do pré-candidato tucano. As inserções, apresentadas pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), começam dizendo que o país vai bem, mas pode “melhorar muito mais”. Depois elencam realizações da prefeitura em parceria com o governo estadual, citando Serra nominalmente.

“Tal conduta, no cenário de disputa eleitoral já deflagrada com o anúncio das pré-candidaturas à Presidência da República, não há como ser tolerada”, justificou Passarinho. Na decisão, o ministro dá ao DEM a opção de substituir as inserções por outras que respeitem a legislação eleitoral.

Passarinho negou outra representação do PT que pedia a suspensão das inserções do DEM na Bahia por propaganda negativa contra o governador Jaques Wagner (PT). Os programas criticam a gestão petista na área de segurança, considerada o calcanhar de Aquiles de Wagner. O ministro considerou que as críticas estão dentro das regras do jogo.

Ainda nesta quinta-feira o PT espera protocolar outras duas representações pedindo a suspensão de inserções do DEM no Rio de Janeiro e Minas Gerais. A alegação é que no Rio o programa foi usado para promoção pessoal do ex-prefeito Cesar Maia. Em Minas Gerais, a irregularidade seria a presença do pré-candidato ao governo pelo PSDB, Antonio Anastasia, e do ex-governador Aécio Neves, também tucano.

Segundo o advogado do PT, Márcio Silva, o partido não tem como impedir a veiculação do programa nacional do DEM, que deve ir ao ar no dia 27 e, segundo o jornal “Folha de S. Paulo”, terá até entrevista de Serra. “Não temos como fazer nada pois poderia caracterizar censura prévia”, disse o advogado.

    Leia tudo sobre: José SerraDEMJustiça Eleitoral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG