José Serra acusa Lula de desindustrializar o Brasil

No momento em que dizia que o Brasil 'se uniu a ditadura' foi interropido por uma pessoa da plateia e provocou alvoroço na sala

EFE |

Divulgação
José Serra em palestra em Biarritz, sul da França
O ex-candidato à Presidência, José Serra (PSDB), acusou nesta sexta-feira em Biarritz (sul da França) o governo do presidente em fim de mandato, Luiz Inácio Lula da Silva , de desindustrializar o país e fazer "populismo" de direita em matéria econômica. Em seu discurso no encerramento do XI Fórum de Biarritz, dedicado a analisar as relações entre América Latina e União Europeia (UE), Serra expôs algumas ideias que, segundo ele, "não pôde discutir como gostaria durante a campanha" eleitoral.

Serra declarou que o Brasil "é um país fechado ao exterior", no qual "há um processo claro de desindustrialização", e criticou "a fraqueza" dos investimentos do Governo e a elevada carga tributária.

"É um governo populista de direita em matéria econômica", disse Serra em relação ao Executivo de Lula, a quem também acusou de exercer um "populismo cambial" e de não ter um modelo econômico.

"A democracia não é só ganhar eleições, é governar democraticamente", disse Serra, que também criticou o modelo de "orçamento participativo", no qual o contribuinte pode decidir sobre a distribuição de parte dos impostos, adotado pelo Brasil e por outros países latino-americanos.

O ex-candidato também acusou o governo de "se unir a ditaduras, como a do Irã". Nesse momento, foi interrompido por um membro da Fundação Zapata, do México, que estava na plateia, e gritou "por que não se cala?", provocando um momento de alvoroço na sala.

Após Serra, tomaram a palavra outros participantes do Fórum de Biarritz, como o ex-presidente da Colômbia, Ernesto Samper, que preside o encontro.

    Leia tudo sobre: eleições serraluladitadura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG