`Impostômetro¿ falha durante visita de Serra ao centro de SP

Agenda do tucano previa registrar a virada dos R$ 800 bilhões em tributos este ano até agora, mas aparelho parou de funcionar

Piero Locatelli, iG São Paulo |

A agenda do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, na manhã desta segunda-feira, previa uma visita ao “impostômetro” no momento da virada dos R$ 800 bilhões em tributos. Mas quando o tucano chegou ao local, o painel montado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP)  no centro de São Paulo parou de funcionar. O “impostômetro” contabiliza os impostos recolhidos no País durante o ano. Neste ano, os R$ 800 milhões foram registrados 31 dias antes do registrado em 2009.

Futura Press
Alckmin, Serra e Aloysio olham painel do "impostômetro"
Para Guilherme Afif Domingos, que é ligado à ACSP e é candidato a vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin ao governo paulista, foi a primeira vez que o aparelho deixou de funcionar.

"Foi com precisão milimétrica porque caiu bem na hora que ia virar", disse Afif. "Então, só pode ter sido hacker", afirmou. Ao ser questionado pelos jornalistas se havia alguma ligação política na quebra do aparelho, Afif respondeu em tom de brincadeira: "Foi a lei de Murphy ou boicote da oposição".

Já para Serra, "o impostômetro não aguentou a carga tributária. Ao invés de quebrar sigilo, criaram um sigilo", afirmou. O presidenciável aproveitou a ocasião para criticar os impostos federais. Disse que o recolhimento de impostos deve chegar a R$ 1,2 trilhão este ano e que a carga tributária atual é 21% maior do que a do ano passado. Serra ainda reclamou que os impostos estão crescendo mais que a inflação e a economia e defendeu a redução gradual dos impostos, mas não estabeleceu metas.

O painel ficou cerca de 15 minutos parado e voltou a funcionar depois que Serra e sua comitiva já haviam saído do local, no centro antigo da capital paulista. Os candidatos retornaram ao Impostômetro para que fosse possível fazer imagens junto do painel em funcionamento.

Além de Afif, Serra também estava acompanhado do candidato tucano ao Senado, Aloysio Nunes Ferreira, e. do candidato tucano ao governo, Geraldo, que continuou a caminhada no centro de São Paulo.

O candidato ao governo também criticou a carga tributária. Ele prometeu isentar de impostos alimentos como arroz, feijão e óleo ainda no primeiro ano de mandato.

    Leia tudo sobre: eleições serrapleito 2010impostômetro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG