Guerra levanta suspeitas sobre recursos da campanha de Dilma

O presidente do PSDB disse que a campanha de Serra é mais cara porque o governo desvia recursos públicos para eleger a petista

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O senador Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB, disse que a campanha de José Serra (PSDB) à presidência é mais cara do que a de Dilma Rousseff (PT) porque o governo desvia recursos públicos para eleger a candidata à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Encarece porque a influência do poder público se dá de várias formas, seja com patrocínios seja por... não quero aqui levantar outras suspeitas mas o peso da máquina do Estado facilita imensamente o uso de recursos públicos para campanhas. A gente está enfrentando isso aí, a manipulação do Orçamento, todas essas manobras que o Brasil não conhecia e agora está conhecendo de forma abundante”, disse Guerra na tarde desta segunda-feira.

O presidente tucano levantou suspeitas quanto à origem dos recursos utilizados na campanha de Dilma. “O que acontece é que está chegando dinheiro demais e a gente não sabe de onde ele vem”, disse.

De acordo com ele, a oposição teve que aumentar a previsão de gastos na campanha de Serra para conseguir fazer frente ao volume de recursos empregados pelo governo para a eleição de Dilma.

“Encarece no geral porque desafia os concorrentes que tem muito menos recursos e muito menos possibilidade”, afirmou.

O PSDB registrou junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma previsão de gastar até R$ 180 milhões na campanha de Serra. Ontem o PT anunciou um teto de R$ 157 milhões para a eleição de Dilma (14% menos), valor registrado no TSE.

A resolução do TSE determina que: "os valores máximos de gastos relativos à candidatura de vice e suplente estarão incluídos naqueles pertinentes à candidatura do titular e serão informados pelo partido político a que forem filiados os candidatos".

Segundo Guerra, o suposto uso da máquina em favor dos candidatos do governo também encarece as campanhas proporcionais apesar das limitações impostas pela legislação eleitoral.

“As campanhas, não apenas as presidenciais, mas as campanhas proporcionais estão todas mais caras apesar de a Justiça Eleitoral ter simplificado as campanhas na medida que retirou muitos elementos que eram caros como a realização de shows e coisa parecida”, afirmou.

Correção

Alguns veículos de comunicação divulgaram nesta segunda-feira (30) que o limite para os gastos de campanha da candidata Dilma Rousseff são de R$ 187 milhões, quando na verdade são R$ 157 milhões, conforme informado no processo de registro da sua candidatura, protocolado hoje no TSE.

De acordo com o advogado do PT, Sidney Neves, "o fato de o PMDB instituir R$ 30 milhões não significa que esses serão acrescidos aos R$ 157 milhões", pois de acordo com a resolução TSE nº 23.217/2010, esses R$ 30 milhões estão incluídos nos R$ 157 milhões.

    Leia tudo sobre: Sergio GuerraPTPSDBDilma RoussefJosé Serraeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG