Governo não quer a transição democrática, diz Sérgio Guerra

Coordenador da campanha de Serra convoca entrevista coletiva para fazer alerta sobre 'conspirações' do PT contra tucanos

Nara Alves, iG São Paulo |

Coordenador da campanha do tucano José Serra à Presidência da República, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra,  convocou uma entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira na capital paulista para fazer um alerta sobre o que classificou de “conspirações” do PT contra o PSDB. Segundo ele, o governo Lula “não está disposto a fazer a transição democrática que é preciso fazer”.

Guerra disse estar confiante de que Serra vencerá a candidata petista, Dilma Rousseff , com uma ampla vantagem. “Essa eleição caminha para uma vitória nossa e esse pessoal (PT) não está disposto a aceitar isso”, afirmou. Para ele, a “transição” não será feita de forma “tranquila, como fez o (ex-presidente) Fernando Henrique Cardoso”.

O PSDB estuda entrar na Justiça contra o uso indevido da máquina pública e de órgãos como a Petrobras na campanha de Dilma, de acordo com o senador. “A Procuradoria Geral da República poderia tomar providências desde já”, disse. Como exemplo de uso de recursos públicos, Sérgio Guerra citou a viagem oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Piauí. “Há uma ação combinada de uso do Estado contra nós”, ressaltou.

Para os tucanos, desde o debate no último domingo na Rede Bandeirantes, a presidenciável petista tem sido mais agressiva contra Serra. O motivo, segundo eles, seria a migração dos eleitores de Dilma para o tucano. “Os votos que estão indo para o Serra são votos negados a Dilma por todo o Brasil porque a imagem dela está arranhada”, afirmou Guerra. Ele voltou a dizer que o que prejudicou a imagem de Dilma foi o caso Erenice Guerra, além da discussão religiosa em torno do aborto.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG