Governo e oposição largam quase em equilíbrio nos Estados

De 11 Estados em que foram feitas pesquisas Vox Populi, aliados de Dilma estão na frente em 6 e candidatos de Serra lideram em 5

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

A popularidade recorde do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não se converteu em votos para os candidatos a governador que integram a aliança da candidata oficial à Presidência, Dilma Rousseff (PT). Em 11 Estados brasileiros que concentram 73% do eleitorado, os candidatos de Lula estão na frente nas disputas estaduais em seis. Nos outros cinco Estados, os líderes apóiam o candidato tucano à Presidência, José Serra.

Helio Costa (PMDB) em Minas Gerais, Tarso Genro (PT) no Rio Grande do Sul, Sérgio Cabral Filho (PMDB) no Rio, José Maranhão (PMDB) na Paraíba, Jaques Wagner (PT) na Bahia e Eduardo Campos (PSB) em Pernambuco são os candidatos governistas que lideram as disputas em seus respectivos Estados, segundo pesquisas do Vox Populi registradas na Justiça eleitoral entre os dias 18 e 20 de maio.

Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, Joaquim Roriz (PSC), que corre o risco de ser impedido pelo Ficha Limpa) no Distrito Federal, Beto Richa (PSDB) no Paraná, e Rosalba Ciarline (DEM) no Rio Grande do Norte lideram, também segundo o Vox Populi, pelo lado serrista. No Pará, Simão Jatene (PSDB) tem 48% contra 36% de Ana Julia Carepa (PT), segundo o Ibope de 29 de maio.

Em outros Estados com participação importante no eleitorado nacional onde as pesquisas registradas são anteriores a maio, também há equilíbrio. No Ceará o líder é Cid Gomes (PSB) enquanto em Santa Catarina Raimundo Colombo (que é do PMDB, mas apoia Serra) leva vantagem. Em Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e Íris Rezende (PMDB) estão equilibrados.

Para o cientista político Fernando Abrucio, da Fundação Getulio Vargas, a tendência é que os candidatos apoiados por Lula subam nas pesquisas com o início da propaganda eleitoral na TV. “Na hora que começar a campanha e o Lula aparecer na TV vai ter um resultado. A oposição não tem muito mais a dizer além do que já foi dito e a situação tem”, disse ele.

Segundo Abrucio, a tendência de transferência de votos de Lula para os candidatos ao governo é maior nas regiões Norte e Nordeste, onde os programas do governo federal tiveram mais impacto. “No Sul a tendência é menor e no Sudeste as exceções são o Rio de Janeiro, onde existem programas importantes do governo federal, e Minas Gerais, onde Aécio Neves e Antonio Anastasia (ambos do PSDB) não são propriamente contrários a Lula”, afirmou.

Para o cientista político, o fato de Dilma ter mais de um palanque em diversos Estados não deve dificultar a situação. “O eleitor vai se perguntar em muitos Estados se o candidato é oposição a Lula. Aquele que se manifestar contra o governo tende a perder votos”, disse Abrucio.

    Leia tudo sobre: Pesquisascandidatos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG