Governador reeleito de MT reúne prefeitos para apoiar Dilma

Silval Barbosa (PMDB) quer reverter vantagem de Serra no primeiro turno no Mato Grosso

Agência Estado |

selo

O governador reeleito de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), se reúne hoje às 18 horas com 130 prefeitos de vários partidos em busca de adesão à campanha de Dilma Rousseff (PT) no segundo turno das eleições presidenciais. Silval pretende reverter a vantagem do candidato José Serra (PSDB), que no primeiro turno derrotou a candidata petista em 85 dos 141 municípios mato-grossenses. No total, Serra obteve em Mato Grosso 678.614 votos e Dilma, 659.771. A diferença foi de 18.843 votos.

Silval Barbosa pretende repetir a façanha do então governador Blairo Maggi, que nas eleições de 2006 conseguiu reverter grande parte da vantagem do então candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que no primeiro turno superou o presidente Lula em 119 dos 141 municípios, com uma diferença total 233.076 votos.

No segundo turno, com o engajamento de Maggi e do agronegócio na campanha, Alckmin venceu em 96 municípios e a diferença caiu para 8.807 votos. As principais viradas ocorreram em municípios com maior colégio eleitoral, como Cuiabá, onde Alckmin havia superado Lula no primeiro turno por 24.510 votos, mas ficou atrás no segundo turno por 31.910 votos.

A campanha tucana já está nas ruas desde o último final de semana, com distribuição de adesivos nas principais avenidas e faixas com frases sobre o "apoio" de Dilma à descriminalização do aborto. Serra foi o mais votado em Mato Grosso, apesar do fracasso do PSDB nas eleições no Estado, pois o partido só conseguiu eleger um deputado estadual, Guilherme Maluf, e outro federal, Nilson Leitão.

O ex-prefeito Wilson Santos (PSDB) foi o terceiro colocado na disputa pelo governo estadual, e outras estrelas tucanas do Estado não conseguiram se eleger, como o candidato ao Senado, Antero Paes de Barros, e a deputada federal Thelma de Oliveira.

Na coligação que apoiou o empresário Mauro Mendes (PSB), que ficou em segundo lugar na disputa pelo governo estadual, a tendência é de neutralidade no segundo turno da campanha presidencial. O senador eleito Pedro Taques (PDT) e Mendes não escondem a insatisfação com o fato de Dilma, ao passar por Mato Grosso, ter participado de comícios apenas do candidato Silval Barbosa. Ambos vêm sendo sondados pelo senador Jayme Campos (DEM) para aderir à campanha de Serra.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições dilmasilval barbosa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG