Geddel: 'Perdi a eleição para Lula e Dilma'

Ex-ministro peemedebista diz que faltou ao PT nacional cumprir acordo local

Lucas Esteves, iG Bahia |

Terceiro colocado nas eleições para o Governo da Bahia, pouco atrás de Paulo Souto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB) admitiu a derrota apenas próximo às 22h, quando a reeleição de Jaques Wagner já estava decidida havia algumas horas. No discurso concedido no comitê central do partido, em Salvador, o candidato derrotado disse eu, na verdade, não perdeu o pleito para o ex-sindicalista, mas sim para o presidente Lula e sua escolhida para lhe suceder no Planalto, Dilma Rousseff.

Ainda ressentido pelo abandono de sua candidatura por parte de Dilma ocorrida no final da campanha, Geddel afirmou que, na verdade, faltou ao PT nacional cumprir localmente o acordo que foi feito para que os peemedebistas baianos promovessem um palanque duplo para a ex-ministra da Casa Civil. A palavra dos baianos foi mantida, mas o PT nacional permitiu que Dilma viesse a Salvador e declarasse apoio somente a Wagner na reta final da campanha.

Segundo o deputado federal, a retirada do apoio da presidenciável ajudou a esfriar sua candidatura. Ainda assim, evitou falar em traição e disse que, de sua parte, não fica nenhum ressentimento. “Eu sofro de estreotose hepática. Se ficar ressentido com alguma, coisa terei ainda mais dor”, afastou.

Geddel Vieira Lima exercerá mandato parlamentar até 31 de dezembro e, a partir do primeiro dia de 2011, não fará mais parte do quadro de deputados, função que exerce desde o início dos anos 90. Ele garante que, ainda que não esteja mais em Brasília trabalhando oficialmente como representante baiano na Câmara, continuará na política e que voltará em 2014 para disputar novamente o cargo.

“Se faz política sem mandato, é isso que vou fazer. A política é a razão da minha vida e em 2014 me esperem que eu vou chegar”, revelou. A Câmara dos Deputados, no entanto, não ficará sem um Vieira Lima, já que seu irmão mais novo, Lúcio, foi eleito deputado federal com votação entre as mais expressivas do estado. Especula-se que Geddel deva participar ativamente do mandato do irmão nos próximos anos.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições bageddel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG