Geddel aposta em segundo turno

Candidato não teme sua baixa pontuação em pesquisas, variando de 10 % a 13%, e garante não deixar a vida pública, caso perca as e

Aura Henrique, iG Bahia |

O candidato peemedebista ao governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, aposta em um “movimento silencioso nas duas últimas semanas de campanha”, que poderá levá-lo ao segundo turno, com Jaques Wagner (PT). Ele acredita que o “sentimento das ruas não é exatamente o que espelham as pesquisas”. A especulação foi feita durante sabatina promovida pelo Jornal A Tarde , em Salvador.

Geddel disse ainda que "não briga contra números" mas, para embasar sua argumentação, citou o fenômeno da inversão ocorrido nas eleições de 2006. “Se pesquisa de opinião vencesse eleição você estaria cumprimentando o governador Paulo Souto e não o atual”, disse. “Estou engajado no esforço de levar nossa candidatura ao segundo turno”, garantiu.

O candidato citou ainda um encontro casual que teve com João Santana, marqueteiro da presidenciável Dilma Rousseff(PT). “Ele bateu no meu peito de forma muito incisiva para me dizer que o candidato João Henrique (prefeito de Salvador) era inelegível, por conta de pesquisa de opinião”. O peemedebista João Henrique se reelegeu com apoio de Geddel, em um acirrado segundo turno contra o candidato petista Walter Pinheiro, hoje disputando o Senado.

Caso as tendências se confirmem e Geddel perca as eleições, é comentário recorrente a possibilidade de fragilização de sua influência junto ao Governo Federal e de sua exclusão do governo estadual. Geddel afirmou ainda que não teme o futuro e deixou claro que não é o momento para discutir o assunto. “Apenas quero lhe dizer que a política não se faz só no exercício do cargo. Encontrarei outras formas de militar na vida pública”, assegurou o candidato.

    Leia tudo sobre: eleições baGeddel Vieira Limacampanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG