Geddel acusa Wagner de 'relação além da desejada' com Judiciário

Peemedebista afirma que, caso seja eleito, suas relações com os magistrados deverão ser claras e independentes

Aura Henrique, iG Bahia |

O candidato do PMDB ao governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, acusou o Poder Executivo baiano de “manter uma relação além da desejada pela Democracia” com o Judiciário. O candidato afirmou também que sua relação com o Judiciário, caso eleito, será de absoluta e clara independência. As declarações foram feitas hoje durante sabatina do Jornal A Tarde.

Ele disse ainda que pretende dar tratamento diferente do atual ao Poder Judiciário, “inclusive em relação a boatos, bochichos e bastidores, que vez por outra dão conta de uma proximidade além daquela desejada pela democracia, entre o poder judiciário da Bahia e o poder executivo”, ressaltou. Geddel prega “clareza, onde cada poder cumpra o seu papel constitucional”.

O candidato lembrou também que a interferência do Executivo nas medidas adotadas pelo Judiciário, por se tratar de um outro poder, “serão sempre limitadas”, avaliando que deve haver transparência permanente entre os três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário. “Devemos todos cobrar sempre muita transparência em relação às ações do Judiciário, do ponto de vista administrativo, da relação institucional com os outros poderes, com a sociedade”, salientou.

Ele aproveitou para desmistificar suas críticas contundentes à gestão Wagner. “Hoje em dia no processo eleitoral fazer crítica virou ataque, o que é uma absoluta incoerência”, disse. “Se me contraponho ao projeto de governo é porque tenho divergências, que só podem ser manifestas com a crítica, respeitosa e objetiva, que traga embutidas propostas”, explicou.

    Leia tudo sobre: eleições bageddelwagner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG