Assessor especial de Lula reagiu a críticas feitas ontem pelo pré-candidato tucano ao governo boliviano

"Exterminador do futuro da política externa". Assim assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, auxiliar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para questões internacionais, define o pré-candidato à Presidência José Serra (PSDB), após críticas que o tucano teria feito à Bolívia, ao Irã e ao Mercosul. A declaração foi dada aos jornalistas logo após sua palestra no III Foro Brasil-União Europeia, que acontece até esta sexta-feira (28), no Rio.

"Qualquer funcionário, sobretudo quem aspira ser o primeiro funcionário do governo, tem que ter muita serenidade na análise na situação internacional porque isso envolve relacionamento com países, ainda mais vizinhos, com quem temos relações sólidas. O Serra está tentando ser o Exterminador do Futuro na política externa", atacou Garcia, ao ser indagado sobre críticas do candidato do PSDB à Bolívia.

Serra afirmou ontem, em entrevista à rádio Globo, que o governo boliviano é condescendente com o tráfico de drogas para o Brasil. Em outras ocasiões, o candidato à Presidência declarou que o Mercosul precisa ser reformulado e que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, se assemelhava ao ditador Adolf Hitler.

"Ele já destruiu o Mercosul, nossas relações com a Bolívia, já falou que o Mahmoud Ahmadinejad é Hitler. Acho que ele talvez esteja pensando em políticas de cortes de despesas com o fechamento de umas 20 ou 30 embaixadas nos países que ele vem insultando", afirmou Garcia.

"Não me parece conduta de um candidato a presidente", disse. Garcia é ex-presidente nacional do PT, que tem como candidata a ex-ministra Dilma Rousseff.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.