Fidelix move ação por não aparecer no Jornal Nacional

Notificada nesta manhã, a Globo alega que é obrigada a convidar para os debates apenas os candidatos com representação na Câmara

Agência Estado |

selo

O candidato do PRTB à Presidência da República, Levy Fidelix, entrou ontem com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a Rede Globo, por considerar que a emissora faltou com isonomia ao levar à bancada do Jornal Nacional apenas três presidenciáveis - Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB). Notificada na manhã de hoje, a Globo alega que é obrigada a convidar para os debates apenas os candidatos com representação na Câmara e que adota a regra de "fazer entrevista na bancada a todo candidato que alcance ao menos 3% das intenções de voto". "No caso, o candidato não pertence a partido com representação na Câmara (portanto, nem a debate precisa ser convocado)", informou em nota.

Para o advogado do PRTB, Marcelo Ayres Duarte, os canais de TV, por serem concessões públicas, têm a obrigação de dar cobertura igual a todos os candidatos. "Não é como os jornais impressos, que são empresas particulares. A televisão é uma coisa pública. Quando a Globo decide entrevistar só três candidatos está sendo contra a lei", afirmou. Na ação, o advogado usou como base os artigos 5º e 17 da Constituição para confrontar a Globo.

Fidelix não pontuou na última pesquisa de intenção de voto Ibope/Estado/TV Globo. Além dos três principais candidatos, o Jornal Nacional também conduziu uma entrevista de três minutos com Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).

    Leia tudo sobre: Levy FidelixJornal nacionalglobo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG