Fichas-sujas do Amazonas

TRE informou que espera decisão do Tribunal Superior Eleitoral sobre o futuro político de cada um

Eduardo Asfora, iG Amazonas |

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) informou nesta quarta-feira que aguarda julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a questão dos 24 candidatos que tiveram seus registros questionados com base na Lei da Ficha Limpa, cuja maioria foi eleita dia 3.

O TSE tem até o dia 17 de dezembro para fazer todos os julgamentos, para considerar se vale ou não os 118.097 votos dos “fichas-sujas” do Amazonas, a maiolria eleita para mandatos que vão de deputados estadual, federal a senador da República.

Os 24 candidatos foram considerados inaptos a participar das eleições, seja por problema de legenda partidária ou envolvimentos em processos e recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mas a palavra final do destino político deles será dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que decidirá a constitucionalidade.

Negados

Oito processos foram concluídos e os pedidos da validade de candidatura negados: Sebastião Nunes (PT), Jair de Lima (PSL), Rita Cley Soares (PTN), Silvana Colares (PTN), Iracildo Marinho (PCdoB), Jorge Luiz Costa (PTN), Carlota Gomes (DEM) e Jetro da Silva (PSOL).

Entre os que esperam a decisão do TSE está o mais votado, o ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro. Ele conseguiu 22.041 votos e seria o décimo sétimo na lista dos 24 que vão compor a bancada da Assembléia Legislativa do Amazonas. Pinheiro teve a candidatura impugnada porque responde a processo de abuso de poder econômico quando foi prefeito de Coari entre 2000 e 2008.

Mudanças

As mudanças na Assembléia dependem do TSE. O deputado estadual Wilson Lisboa (PCdoB) conseguiu mais de 13 mil votos e se tiver a candidatura validada, ganha a vaga de Washington Régis (PMDB). Outros parlamentares bem votados e que aguardam pelo veredicto do TSE são Nelson Azedo do PMDB e Walzenir Falcão (PMN).

A validade dos candidatos “fichas-sujas” deve influir diretamente também no quociente eleitoral ou número mínimo de votos para um partido ou coligação garantir uma vaga. O novo parâmetro para obter um posto na Assembléia Legislativa passaria de 60.716 para 64.797. O PCdoB com os votos dos impugnados iria de 58.515 para 80.502 votos.

A coligação “Amazonas melhor para todos” (PDT / PT / PSL / PR / PSDC / PSB / PT do B) pularia de 127.654 para 129.760 votos. A coligação “Avança Amazonas” ((PMDB/PMN/PP/ PSC / PRTB / PHS/ PCdoB) que tem 611.783 votos iria para 663.558 votos e a “Democracia e Trabalho” (PTB, DEM e PRP) pularia de 200.025 para 222.066 votos.

“Fichas-sujas”

Para o Senado: Francisco Castelo (PCB), 3.961 votos. Deputado Federal: Edílson Gurgel (PRT), 10.280 votos. Elizaldo Soares de Araújo (PHS), 1.073 votos; Augusto Basílio Neto (PMN), 1.034 votos. Deputado Estadual: Adail Pinheiro (PRP), 22.041 votos; Nelson Azêdo (PMDB), 20.144 votos; Walzenir Falcão (PMN), 18.924 votos; Wilson Lisboa (PCdoB), 13.999 votos;

Jecinaldo Barbosa Cabral (PCdoB), 8.001 votos; Mateus Burton (PSC), 4.706 votos; Hamiton Villar (PCdoB); 4.576 votos; Raul Teixeira (PR), 2.106 votos; Girlandia da Silva Batista (PCdoB), 1.943 votos; Sebastião Nunes (PT), 1.736 votos; José Maria Nunes Corrêa, 1.361 votos; Jair Aquino Lima (PSL), 782 votos;

Rita Cley Soares (PTN), 551 votos; Silvana Colares (PTN), 297 votos; Iracildo Soares Marinho (PCdoB), 288 votos; Diego Gomes de Lima (PCdoB), 108 votos; Jorge Luiz Pinto (PTN), 74 votos; Carlota Figueiro Gomes (DEM), 55 votos; Evaldo Pereira Couto (PSL), 38 votos; e Jetro Xavier da Silva (PSol), 19 votos.


    Leia tudo sobre: eleições amtre amlei da ficha limpatsestf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG